O Comitê Regional de Atenção ao Coronavírus da Associação de Municípios do Alto Uruguai (AMAU) realizou reunião extraordinária, na manhã desta segunda feira (18), para avaliar e apreciar os indicadores regionais, visando verificar a possibilidade ou não da adoção da cogestão, face a indicação de bandeira vermelha para a R16 por parte do Sistema de Distanciamento Controlado do RS, divulgada na última sexta-feira (15).

Após avaliação criteriosa de vários indicadores da Plataforma Regional de Monitoramento (PRM) e do próprio Sistema de Distanciamento Controlado, os membros do colegiado entenderam que a região pode fazer uso da ferramenta legal, adotando uma bandeira menos restritiva para a semana de 19 a 25 de janeiro de 2021.

Três indicadores foram fundamentais nessa avaliação. “No momento em que aprovamos o Plano Estruturado Regional de Prevenção e Enfrentamento da Epidemia do novo Coronavírus, condicionamos a adoção da gestão compartilhada mediante avaliação de válvulas e gatilhos de segurança, como número de casos ativos, taxas de ocupação dos leitos hospitalares e número de óbitos, entre outros”, pontua Jackson Arpini, membro do comitê regional.

No presente momento, segundo os últimos boletins regionais, a R16, que engloba 34 municípios, aproximadamente 240 mil habitantes, apresenta 271 casos ativos e as taxas de ocupação de leitos hospitalares estão em patamares aceitáveis para um período pandêmico, sendo de 43,47% para leitos de UTI e 8,51% para leitos clínicos, segundo dados do último boletim (15/01/21).

Na oportunidade também foram realizados paralelos com o Estado e Macrorregião e os indicadores se apresentaram melhores, tanto para ocupação de leitos gerais de UTI quanto leitos clínicos.

Após debate, houve o entendimento que, nessa semana, pelos dados sistematizados e pela situação a nível regional, a R16 pode adotar a cogestão mediante publicação dos decretos municipais dos entes que assim entenderem, considerando que cada município possui seu Plano Estruturado, com respectivo responsável técnico e devidamente regulamentado.

Arpini ressalta que a cogestão é válida somente para a semana que vai da 0h do dia 19/01 até às 24h do dia 25/01 e que os decretos municipais devem ser específicos para a semana vigente.

“Vamos continuar avaliando com precisão os indicadores regionais para manter a epidemia regional monitorada, bem como para possíveis ações de prevenção e enfrentamento que por ventura sejam necessárias para o momento. Só podemos orientar a cogestão a partir de indicadores favoráveis, com margem de segurança”, coloca o comitê regional.

Confira aqui o Parecer Orientador do Comitê Regional

Anúncio Patrocinado