De acordo com a Organização Mundial da Saúde, uma a cada quatro pessoas no continente americano irão apresentar complicações envolvendo a saúde mental ao longo da vida. Entre as condições mais recorrentes, está a depressão – psicopatologia responsável por causar tristeza profunda, perda de interesse, ausência de ânimo e oscilações de humor.

Uma análise feita pela Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), do IBGE, revelou que 16,3 milhões de brasileiros com mais de 18 anos sofrem de depressão no país. Um dos muitos fatores que podem levar a esse diagnóstico é o estilo de vida e o ambiente em que a pessoa convive. Assim, a rotina de trabalho e a profissão escolhida podem causar um impacto direto no emocional de uma pessoa.

Carreira e saúde mental
Buscando entender melhor como uma profissão pode causar a instabilidade emocional, pesquisas coletaram dados que indicaram quais são os profissionais com maior probabilidade de apresentar um diagnóstico de depressão. Os estudos foram realizados de forma ampla, sendo importante destacar que a doença não surge apenas pela rotina de trabalho, podendo ter inúmeras causas diferentes.

Entre as profissões listadas em estudos feitos pela revista estadunidense Health e dados divulgados pelo Ministério da Previdência Social, estão:

– Policiais
– Controladores de vôo
– Profissionais da área de segurança
– Artistas e escritores
– Professores
– Telemarketing
– Enfermeiras e cuidadoras de criança
– Jornalistas
– Consultor de vendas
– Assistentes Sociais
– Médicos
– Profissionais da área administrativa
– Consultores financeiros e contabilistas
– Garçons
– Profissionais da área de construção civil

O estresse constante vivido por profissionais dessas áreas é um dos fatores que pode desencadear o aparecimento de complicações mentais. Além disso, a sensação de incapacidade para cumprir a função, o alto nível de responsabilidade e jornadas de trabalho prolongadas também estão relacionadas com os impactos na saúde mental.

Anúncio Patrocinado