Qual a importância do apoio familiar no transtorno bipolar?
A família é quem costuma alertar o paciente de que não está bem e precisa buscar auxílio, principalmente se a depressão for grave. Na mania às vezes o paciente não aceita que precisa de tratamento e também é a família que precisa intervir.

É a família que auxilia na correta tomada da medicação, apoia o paciente durante as crises e leva ao médico. Quando melhora, continua ajudando no cuidado do dia a dia. Por outro lado a família e o paciente necessitam de apoio e psicoeducação para entender o transtorno bipolar e conseguir atenuar as novas crises, inclusive preveni-las cada vez melhor.

Qual o tratamento disponível no SUS e como conseguir os medicamentos?
O tratamento é com medicamentos estabilizadores do humor, que se obtém nos postos de saúde – lítio, ácido valproico e carbamazepina, e outros utilizados em casos de não resposta, que fazem parte da lista de alto custo do SUS: olanzapina, quetiapina, risperidona, lamotrigina.

O que fazer em caso de uma crise? Como agir para ajudar outra pessoa em caso de crise?
É preciso levar ao médico para tratamento medicamentoso. Em casos de depressão grave com risco de vida, deve-se levar ao pronto socorro. Na mania e na hipomania é preciso convencer o paciente a tomar remédios. Se ele se recusar e correr riscos pessoais, ele precisa da proteção de uma internação, como se indica em quaisquer quadros médicos graves. Infelizmente com frequência não há acesso a tratamento adequado, por falta de vagas e de acesso a médicos e medicamentos.

Anúncio Patrocinado