Uma pesquisa do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), divulgada nesta quinta-feira (29), aponta que mais de 5 milhões de crianças e adolescentes estavam sem acesso aos estudos no Brasil no fim de 2020. Entre elas, quatro em cada dez (41%) tinham de 6 a 10 anos.

Conforme o levantamento, feito em parceria com o Cenpec Educação, 69,3% das crianças dessa etária são pretas, pardas ou indígenas. Antes da pandemia de coronavírus, crianças dessa idade sem oportunidades de educação eram exceção.

Em janeiro deste ano, o Unicef já havia divulgado a estimativa de que 5,2 milhões de crianças e adolescentes de 6 a 17 anos estavam fora da escola ou sem atividades escolares no Brasil. O número representa 13,9% do total da população com essas idades.

A entidade apontou que o fechamento de escolas durante a pandemia poderá fazer o Brasil regredir duas décadas no combate à evasão escolar. Em nota, Florence Bauer, representante do Unicef no Brasil, destaca que os números fazem um alerta urgente para que ações sejam tomadas para reverter o quadro.

“Os números são alarmantes e trazem um alerta urgente. O País corre o risco de regredir duas décadas no acesso de meninas e meninos à educação, voltado aos números dos anos 2000. É essencial agir agora para reverter a exclusão, indo atrás de cada criança e cada adolescente que está com seu direito à educação negado, e tomando todas as medidas para que possam estar na escola, aprendendo”, afirma Bauer.

Anúncio Patrocinado