Em regiões do Estado do Rio Grande do Sul onde ocorreram chuvas na metade da semana que passou, produtores que ainda não tinham finalizado o plantio da soja realizaram a operação. De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido e divulgado nesta quinta-feira (13) pela Gerência de Planejamento (GPL) da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), das lavouras implantadas, 3% já estão em enchimento de grãos, 28% em floração e 69% ainda em germinação e desenvolvimento vegetativo. O plantio atinge 95% da área total estimada no Estado.

Na região de Porto Alegre, a cultura apresenta desenvolvimento lento em função da irregularidade das chuvas. Produtores replantaram lavouras em alguns municípios devido à estiagem. Na de Soledade, a distribuição das chuvas ocorridas foi irregular; porém, em parte da região onde a semeadura estava atrasada, os acumulados de chuva foram maiores e a semeadura da soja está sendo finalizada.

A colheita do milho avançou para 20% das áreas no Estado, outros 28% estão em maturação, 25% em enchimento de grãos, 10% em floração e 17% em germinação e desenvolvimento vegetativo. Assim como a soja, também falta apenas 5% para conclusão do plantio da área total estimada. Na região de Pelotas, as lavouras implantadas no cedo foram beneficiadas pelas últimas chuvas, pois encontram-se em estádio reprodutivo de desenvolvimento. No entanto, a irregularidade das precipitações gera perdas em lavouras onde não choveu e naquelas em que o volume precipitado foi baixo.

Na regional de Santa Rosa, algumas lavouras apresentam perda superior a 80% em relação à produtividade esperada inicial, cujos produtores têm solicitado o amparo do Proagro e a liberação dessas lavouras para a alimentação de bovinos. Na regional de Caxias do Sul, conforme levantamento, a média de perdas está em 25%, variáveis em função do estádio de desenvolvimento da cultura e da microrregião onde se localiza.

Por conta da precipitação ocorrida na regional administrativa da Emater/RS-Ascar de Caxias do Sul, foi possível avançar na semeadura do feijão 1ª Safra, mas a expectativa é de que o cenário de estiagem mude para seja possível implantar a totalidade das lavouras. A maioria das lavouras estão em desenvolvimento vegetativo e já apresentam perdas de 6% em média; embora o baixo percentual, a situação preocupa agricultores. Na de Pelotas, com as chuvas da semana, localizadas e de baixo volume, alguns produtores realizaram plantios em pequenas áreas, embora inexpressivas em relação ao total dos cultivos de feijão planejados na regional.

Praticamente 100% do arroz cultivado no RS é irrigado. Lavouras com bom aporte de água apresentam bom desenvolvimento, favorecidas pela alta insolação. A redução das reservas de água em alguns locais preocupa produtores. O plantio está praticamente finalizado (99% da área total estimada). Do total implantado, 4% das áreas estão em enchimento de grãos, outros 22% em floração e 74% em germinação e desenvolvimento vegetativo.

Na região de Santa Maria, 4% das lavouras estão em fase de enchimento de grãos. Arrozeiros que usam água de arroios e rios que estão com os níveis muito baixos e alguns já secos estão preocupados, mantendo alguns poços com água ainda. Diante desta situação, muitos puxam menos água para a irrigação, a fim de não faltar no restante do ciclo da cultura, mas esta estratégia prejudica o potencial produtivo da lavoura. No momento, há 531 produtores com dificuldades para irrigar adequadamente suas lavouras. Na de Santa Rosa, as chuvas ocorridas de segunda a quarta também não atingiram as áreas com maior concentração de lavouras de arroz. Isso faz com que as condições de irrigação sejam fortemente afetadas, e as lavouras já mostram perdas de produtividade ao redor de 20%.

Previsão do tempo
A próxima semana terá novamente calor extremo e volumes baixos de chuva na maior parte do RS. Na quinta (13) e sexta-feira (14), a presença do ar quente manterá a onda de calor em todo Estado, com tempo seco e temperaturas superiores a 40°C em algumas regiões. No decorrer da sexta-feira (14), há possibilidade de pancadas de chuva e trovoadas isoladas nos setores Norte e Nordeste. No sábado (15) e domingo (16), o tempo firme e muito quente seguirá predominando, e o ingresso de ar úmido favorecerá o aumento da nebulosidade, o que deverá provocar na maioria das regiões pancadas de chuva e trovoadas, típicas de verão. Entre a segunda (17) e quarta-feira (19), o ar quente e úmido seguirá predominando, e o deslocamento de uma área de baixa pressão vai provocar chuva em grande parte do Estado, com possibilidade de temporais isolados na Fronteira Oeste, Campanha e Zona Sul.

Os volumes esperados deverão oscilar entre 15 e 35 na maioria das regiões; porém, na Serra do Nordeste, nos Campos de Cima da Serra e no Litoral Norte os valores poderão alcançar 50 mm em alguns municípios. Na Fronteira Oeste, Campanha e na Zona Sul os totais oscilarão entre 50 e 65 mm e poderão alcançar 80 mm em algumas localidades.

Anúncio Patrocinado
FONTEAssessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar
Artigo anteriorJudiciário catarinense alerta que o conhecido golpe dos precatórios voltou com “nova roupagem”
Próximo artigoEstiagem causa prejuízos à agricultura e ameaça o abastecimento