Projeto vem sendo desenvolvido ao longo deste ano e seguirá com novas ações em 2023

Sabe aquela expressão, prevenir é melhor que remediar? Pois em Severiano de Almeida, isso é levado muito a sério. A prevenção a doenças é um dos objetivos do Programa Saúde na Escola (PSE), promovido pela Secretaria da Saúde do município e que vem sendo desenvolvido nas quatro escolas do município, sendo três delas municipais e uma estadual.
Para que fosse possível implementar o PSE nas salas de aula, foram apresentadas as 13 ações previstas no Programa aos diretores e responsáveis das instituições. Estes, junto aos professores, avaliaram a viabilidade de aplicação de cada projeto para o primeiro semestre de 2022.

As ações escolhidas, que já estão sendo desenvolvidas, são a da saúde bucal, com a dentista Angélica Fantin; a atualização e verificação da situação vacinal dos estudantes, com a técnica em enfermagem Marlei Andrioli e também a de conhecimento nutricional e segurança alimentar, com a nutricionista Marina Vendrame.

Para o segundo semestre, as ações previstas pela Secretaria quem levar informação sobre o vírus da Covid-19, que é uma questão obrigatória; educação sexual, direitos e prevenção de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs); além de continuar o trabalho de verificação vacinal e a ação de saúde bucal; prevenção de acidentes, com participação da Polícia Rodoviária Federal; prevenção do consumo de bebida alcoólica, tabaco e drogas e também a ação de saúde ambiental, com foco na dengue.

Segundo a Responsável pelo PSE, Fabíula Palavicini, as ações voltadas à educação infantil serão diferentes. “As turmas da educação infantil irão trabalhar a prática de atividades físicas, desenvolvimento e lazer na escola. Neste ano não serão trabalhadas todas as 13 ações do PSE, porém, a Secretaria pretende aplicá-las no próximo ano”, conclui Fabíula.

Anúncio Patrocinado
VIAJornalismo - Rádio Aratiba
FONTEAssecom
Artigo anteriorRelaxe!
Próximo artigoPRF prende em Barão de Cotegipe, contrabandista com mais de 10 toneladas de agrotóxicos proibidos no Brasil