Na regional da Emater/RS-Ascar de Bagé, na ovinocultura o período é marcado pelo grande número de animais em parição. Em São Gabriel, já foram registradas em torno de 50% das parições previstas, alcançando também os rebanhos de raças de carne. De acordo com o Informativo Conjuntural produzido e divulgado nesta quinta-feira (4) pela Emater/RS-Ascar, as condições do tempo foram favoráveis aos cordeiros recém-nascidos, principalmente durante os dias mais quentes, mas a ocorrência de chuvas e os ventos fortes causaram grande estresse térmico aos animais.

Na regional de Pelotas, com a pouca oferta de forragem em campo nativo, alguns produtores utilizam as pastagens cultivadas como forma de auxiliar a manutenção dos animais mais fracos. No geral, os índices de parição são considerados bons até o momento. Neste período, há aumento de necessidade de cuidados com os animais, principalmente em relação à predação. Em algumas propriedades, já ocorrem os desmames dos cordeiros com idade de 60 a 90 dias.

Na regional de Porto Alegre, os rebanhos sentem a diminuição da oferta de forragem a campo, havendo, em alguns casos, necessidade de suplementação. As matrizes seguem em parição, recebendo os devidos cuidados sanitários.

Na regional de Santa Rosa, com a finalização da maior parte dos partos, os produtores intensificam os cuidados com a ocorrência de doenças nos rebanhos. As condições de clima mais seco favorecem o crescimento dos cordeiros que nasceram no cedo e já iniciam o pastejo, já que o campo nativo apresenta brotação e folhas de alta qualidade nutricional.

Culturas de inverno
Trigo – A estimativa de cultivo de trigo no Estado para a safra 2022 é de 1.413.763 hectares. A produtividade estimada é de 2.822 kg/ha. O plantio está praticamente concluído. As lavouras em geral apresentam bom desenvolvimento, avançando para a floração nas regionais de Frederico Westphalen e de Santa Rosa.

Canola – Na regional de Santa Rosa, os 24,5 mil hectares implantados representam aumento da área em relação ao ano anterior. A expectativa atual de produtividade média é de 1.702 kg/ha, mas o período de chuvas excessivas e a ocorrência de geadas em períodos reprodutivos das plantas infligiram redução de potencial. Com o plantio iniciado em maio, 36% das lavouras estão em desenvolvimento vegetativo, 42% em floração, 19% em enchimento do grão, e há 4% em maturação do grão. As melhores condições de luminosidade durante a semana aceleraram a evolução da floração. A alta umidade nas semanas anteriores causou ocorrência de doenças foliares em algumas lavouras, sendo necessário o controle químico. A perspectiva de rentabilidade é boa com a manutenção dos preços elevados do grão, associado à perspectiva de clima mais ameno na finalização do ciclo da cultura.

Cevada – A cultura da cevada está em desenvolvimento vegetativo no Estado. Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Soledade, o predomínio de tempo firme na semana, associado à boa incidência de radiação solar e à boa umidade do solo, favorece o crescimento e desenvolvimento da cultura. O aspecto geral das lavouras é bom, da mesma forma que o estande de plantas. Os agricultores estão finalizando o controle de plantas invasoras em pós-emergência e as adubações nitrogenadas em cobertura. Com relação a doenças como manchas foliares, estas estão sendo monitoradas, assim como o oídio, e o momento de controle está sendo avaliado.

Na de Erechim, o preço está 30% maior que o preço de mercado oferecido para o trigo. A cultura apresenta desenvolvimento normal. Na de Frederico Westphalen, a semeadura está concluída. O cenário de desenvolvimento é similar ao do trigo.

Aveia branca grãos – Na regional de Ijuí, a cultura apresenta bom desenvolvimento, com excelente aspecto fitossanitário, mas há relatos da presença de doenças foliares, principalmente de ferrugem da folha e do colmo em lavouras com controle fitossanitário deficiente. De maneira geral, o aspecto das lavouras é considerado bom. Nos municípios mais ao norte, a cultura está em fase mais avançada, sendo que algumas poucas lavouras já foram colhidas na região Celeiro, porém pouco expressivas ainda. Nos municípios mais próximos a Ijuí e no Alto Jacuí, as lavouras se encontram em estágio menos avançado devido à semeadura mais tardia. De modo geral, é possível identificar na região que aproximadamente metade das lavouras se encontram na fase vegetativa (alongamento colmo e emborrachamento) e a outra metade, em fase reprodutiva.

Bovinocultura de leite
A melhora das condições do tempo resultou no aumento de produtividade leiteira, devido principalmente à maior participação das pastagens cultivadas de alta qualidade na dieta das matrizes.

As condições ambientais proporcionaram bem-estar aos animais no que se refere às temperaturas. Com a ocorrência de chuvas mais para o final da semana, houve aumento na umidade, com formação de barro em alguns locais de acesso aos animais, gerando preocupação pelo maior risco da ocorrência de mastites e contaminação do leite no momento da ordenha.

Os preços do leite para o consumidor continuam apresentando elevação, situação que gera insatisfação devido à defasagem no valor praticado pela indústria aos produtores.

Anúncio Patrocinado
FONTEAssessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar - Regional de Caxias do Sul
Artigo anteriorProjeto quer viabilizar estrada ferroviária ligando Chapecó a Passo Fundo
Próximo artigoSanta Mônica Hospital recebe visita do Centro de Apoio Oncológico Luciano