Câncer infantil

115

Não são apenas os adultos que recebem o diagnóstico do câncer, as crianças e adolescentes também podem ter de enfrentar a doença.

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), o câncer pediátrico (de 0 a 18 anos de idade) representa 3% do total da doença em adultos. Já os cânceres do sangue, como a leucemia e o linfoma, estão no topo da lista dos mais recorrentes. Veja:

– Leucemias (33%)

– Tumores do sistema nervoso central (20%)

– Linfomas (15%)

– Neuroblastoma (8%)

– Tumor de Wilms, dos rins (6%)

– Tumores de partes moles (6%)

– Tumores ósseos (5%)

– Retinoblastoma, nos olhos (3%)

Na criança e adolescente, o câncer costuma dar sinais e se desenvolver rapidamente, por isso é muito importante sempre ficar atento a qualquer alteração tanto física, quanto de comportamento. O diagnóstico precoce da doença faz toda a diferença.

Mas se comparado ao adulto, os resultados são muito mais animadores! Com os avanços da medicina, as chances de cura hoje podem chegar até a 70%, considerando todos os tipos.

Se seu filho foi diagnosticado com qualquer tipo de câncer, não se apavore. Saiba que existem tratamentos importantes, que podem oferecer qualidade de vida e ótimos resultados.

É claro que ninguém está preparado para uma notícia como essas, mas compreender a doença, o tipo de câncer, o estadiamento (o quanto o câncer se espalhou pelo corpo), o prognóstico, além de acompanhar a evolução e os resultados é fundamental para que você tenha confiança e, assim, ajude no que for preciso. Tenha em mente que a criança / adolescente dependerão da sua segurança para se sentir igualmente seguros e enfrentar o que vem pela frente.

Por isso, tire todas as dúvidas com o médico responsável, sobre os exames que serão realizados, os tratamentos disponíveis, e procure ser sempre sincero com a criança ou adolescente, pois o paciente precisa confiar em você!