COREDE Norte encaminha propostas para a próxima Consulta Popular

155

Com a presença de representantes de todos os 32 COMUDEs (Conselhos Municipais de Desenvolvimento), o COREDE Norte realizou, na manhã desta sexta-feira (9), a primeira Assembleia Geral para definir as propostas a serem incluídas na próxima Consulta Popular, a ser realizada nos dias 4, 5 e 6 de setembro, pela internet. Haverá, ainda, nos dias 4 e 5, urnas móveis eletrônicas e também via SMS. As propostas, no entanto, ainda serão discutidas nas assembleias dos COMUDEs.

Devido aos poucos recursos disponíveis (R$ 628 mil), os líderes regionais decidiram concentrar os recursos apenas em algumas propostas, já que as áreas da segurança e saúde, por terem sido contempladas em outras Consultas, estarão fora desse pleito.

A Assembleia, que foi conduzida pelo Presidente do COREDE Norte, professor Paulo José Sponchiado, contou com a presença de dois representantes da Secretaria Estadual de Governança, Evandro Lucas e Rosângela Pretto, que mostraram o esforço do governo em viabilizar a Consulta, apesar da queda na receita estadual. O Secretário Estadual de Governança, Cláudio Gastal, disse, em mensagem por vídeo, que os COREDEs têm papel fundamental no desenvolvimento do Rio Grande do Sul, por isso, o esforço em colocar em votação os recursos mesmo sendo menores do que os anos anteriores.

Depois de alguns debates, a Assembleia decidiu que a cédula da Consulta terá três demandas. No entanto, elas serão propostas inicialmente pelas seis Assembleias Microrregionais, que iniciam nesta quarta-feira (14), com as cidades de Campinas do Sul, às 9h, e Aratiba, às 14h. Na quinta-feira (15), estão previstas as assembleias de Viadutos, às 9h, e Erechim, às 14h. Na sexta-feira (16), acontece a assembleia em São Valentim, às 14h. Na segunda-feira (19), às 9h, está prevista a assembleia de Getúlio Vargas.

Posteriormente, na terça-feira (20), haverá uma nova assembleia ampliada a ser realizada novamente na URI, que vai definir, então, as três demandas que farão parte da cédula. A mais votada é que será incluída no Orçamento Estadual de 2020.