Dupla perfeita para saúde: dieta e exercício

715

Quem nunca trocou a rotina de exercícios na academia por uma atividade de lazer ou deixou a salada de lado e pediu um hambúrguer com batata frita no restaurante? Saiba que, se for de vez em quando, pode! O problema é a situação se tornar recorrente.

O preparador físico Marcio Atalla explica que “um estilo de vida saudável não significa abrir mão dos pequenos prazeres, o que importa é o equilíbrio e estar em movimento”.

O que falta, muitas vezes, é saber conciliar vontade com bom senso. Para emagrecer, por exemplo, muitos indivíduos focam em dietas restritivas, que garantem resultado rápido. Porém, de acordo com o estudo publicado no jornal da Sociedade Americana de Psicologia, nove em cada dez pessoas que iniciam um regime desse perfil fracassam, sendo que sete acabam com um peso maior do que quando começaram.

“Quando você inicia uma dieta com a exclusão de vários ingredientes, a resposta é muito rápida, mas depois de um curto período, o resultado passa a ser mais lento, já que o corpo se adapta a essa alimentação restritiva. Além disso, em determinado momento, o organismo sente a ausência dos nutrientes excluídos e falta energia, fazendo com o que a pessoa volte a consumir como antes. Por isso que uma alimentação equilibrada com a prática de exercícios físicos garante resultados mais eficazes e duradouros” explica Atalla.

Na pratica, os exercícios são o complemento do regime e da busca por mais saúde e qualidade de vida. Porém, nem sempre é fácil dar o passo inicial e, normalmente, as pessoas jogam a culpa na falta de tempo. De acordo com a pesquisa Vigitel 2014, do Ministério da Saúde, 48% dos brasileiros são sedentários. O sedentarismo, por sua vez, está muito relacionado com o aparecimento de doenças, com a pressão alta, a diabetes e a obesidade.

Para o preparador físico, o cenário é preocupante. “Apenas 35% da população brasileira pratica atividades físicas três vezes na semana, sendo que o ideal é de 30 minutos por dia e cinco vezes por semana. Por isso, é importante aproveitar todas as oportunidades dentro de uma rotina agitada”, explica. Segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de três milhões de mortes por ano no mundo podem ser atribuídas á falta de atividades físicas. Além disso, a inatividade é o quarto maior fator de risco de mortalidade global.