Enem 2019: candidatos nota 1 mil dão dicas de como fazer uma boa redação

597

Dos quase quatro milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019, 53 candidatos tiraram nota 1 mil na redação, de acordo com balanço divulgado nesta sexta-feira (17) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep).

O tema da redação do Enem 2019 foi “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”. Os estudantes tiveram acesso a textos de apoio como um trecho do artigo “O que é cinema”, de Jean-Claude Bernardet; um trecho do texto “O filme e a representação do real”, de C.F.Gutfreind.

No total, o Inep diz que corrigiu 3.652.864 provas de redação do Enem, que aconteceu nos dias 4 e 11 de novembro. Os dados não incluem as provas do Enem PPL, aplicado para pessoas privadas de liberdade.

O G1 conversou com alguns desses estudantes nota 1 mil, que deram dicas de como elaborar uma boa redação. Confira:

Mapa mental

Daniel Gomes, 25 anos, foi um dos candidatos que atingiu a nota 1 mil na redação. Gomes mora em Fortaleza, cursa engenharia de produção na Universidade Federal do Ceará (UFC), e faz estágio na área. O último Enem dele foi em 2013. Agora, ele quer cursar medicina.

Gomes diz que redigiu cerca de 80 redações ao longo de 2019 para treinar e não fez cursinho. “Sempre procurei estudar de forma profunda cada competência exigida pela banca e, principalmente, estudar as redações nota 1 mil e 980”, afirma. “Eu tinha um mapa mental, um modelo de redação que poderia se adaptar a muitos temas. Isso me ajudou bastante”, conta.

Ele explica que o “mapa mental” era a estrutura da redação (introdução, desenvolvimento, conclusão); palavras conectoras que pudessem relacionar os parágrafos e unir ou contrapor as ideias, e também “agentes” que poderiam ser usados na conclusão, como ministérios do governo ligados à área, empresas, livros clássicos.

Nesta redação em específico, ele citou o filme nacional Cine Holliúdy, de 2013, dirigido por Halder Gomes.

Gomes conta que citou a falta de incentivos do governo para o audiovisual e propôs projetos para levar estudantes de escolas públicas para o cinema. Ele também citou incetivos fiscais que poderiam ser criados em troca de ingressos para comunidades carentes.

Na conclusão ele argumentou que deveriam ser tomadas medidas para democratizar o acesso ao audiovisual, propondo um plano nacional.

Citação de filósofos

A estudante Vitória Castro, 19 anos, foi uma das estudantes do Piauí que conquistaram nota 1 mil na prova da redação do Enem 2019. Segundo ela, dois dos segredos para a nota máxima foram: fazer três redações por semana e estudar assuntos gerais de forma ampla, sem decorar temas específicos.

“A gente nunca pensa que vai tirar uma bota nota, ainda mais nota 1 mil, mas eu estava confiante de que tinha feito uma bota redação. Quando vi o número na nota, fiquei muito feliz, corri pra falar pra todo mundo”, disse a candidata.

Vitória contou o que fez para obter a nota máxima: praticou muito. Essa foi a terceira vez que ela fez a prova e já tinha obtido 940 pontos no Enem em 2018.

“Fazia de duas a três redações por semana, no cursinho, em casa, e isso contribuiu muito, porque a prática leva à perfeição”, disse Castro. “Alguns dos autores que li e citei na prova foram Gilberto Dimenstein, Milton Santos e John Locke.”

Gilberto Dimenstein é um escritor e jornalista brasileiro; Milton Santos foi um geógrafo brasileiro que ganhou, em 1994, o Prêmio Vautrin Lud de Geografia, na França, considerado o Nobel de Geografia. Ele foi o primeiro brasileiro a realizar este feito e faleceu em 2001. John Locke é um filósofo britânico e considerado um dos principais expoentes do liberalismo, autor da obra ‘Dois Tratados do Governo Civil’.

Saúde mental em dia

Para o estudante do Rio de Janeiro, Gabriel Lopes, 20, tão importante quanto praticar a redação, são os cuidados com a saúde mental para a hora da prova. Ele disse que o candidato precisa estar bem para poder se concentrar e ir bem no exame.

“Não é besteira, é muito importante estar com a mente e corpo sãos para fazer uma boa redação”, disse Lopes que espera poder usar a nota do Enem para se inscrever no curso de medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Lopes presta o Enem desde 2015 quando terminou o ensino médio e contou que escreveu ao menos uma redação por semana durante a preparação para a prova no Curso pH, da capital carioca. Ele contou que procurava praticar sempre que podia, e mesmo nas atividades de outras disciplinas, tentava argumentar para treinar para a prova.

“A redação foi minha vida, eu lia jornal e pensava em temas, eu via possibilidades de redação em todo lugar”, disse Lopes.

O candidato citou o filme “Na Quebrada”, do diretor Fernando Grostein Andrade e disse que aplicou conceitos dos filósofos Theodor Adorno e Max Horkheimer sobre a indústria cultural. Ele contou que passou a se interessar por temas filosóficos após ganhar um livro que resumia o pensamento de diversos intelectuais.

De Machado de Assis a Kant

Letícia Silva foi outra das estudantes piauenses a conseguir a nota 1 mil na redação do Enem 2019. Ela disse que usou na prova o embasamento que adquiriu lendo autores clássicos como o escritor brasileiro Machado de Assis e o filósofo alemão Immanuel Kant.

“Eu me preparei fazendo umas três redações por semana”, disse Silva. “Busquei ter embasamento em autores clássicos como Machado de Assis, de pensadores como Kant. No momento eu não lembro quais autores eu usei na prova, mas o tema permitia desenvolver e defender um ponto de vista, apesar de ter sido inesperado.”

A candidata contou que essa foi a terceira vez que fez o exame, e que em edições anteriores conseguiu a pontuação de 840 e 940 pontos. A jovem disse ainda que pretende cursar medicina na Universidade Estadual do Piauí (Uespi).