Estado terá mais 1,3 mil policiais e bombeiros nas ruas até o fim de 2020

197

A primeira etapa de convocações para a área da segurança pública vai ocorrer neste mês e deverá admitir 1.347 novos servidores. A data foi confirmada pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). Os novos agentes serão distribuídos entre Brigada Militar, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil. A previsão é de que comecem a atuar até o final do ano.

Para a Brigada Militar, serão 860 novos soldados. O curso de preparação tem duração de oito meses. No entanto, antes mesmo do final da qualificação — com carga de 1.675 horas —, os novos policiais já poderão atuar no policiamento ostensivo. A corporação ainda terá 70 novos capitães. Já o Corpo de Bombeiros terá 105 vagas preenchidas.

Na Polícia Civil, irão ingressar 262 escrivães e inspetores, além de 50 delegados. O período de qualificação é inferior a sete meses. A carga horária varia entre 825 e 875 horas.

Ainda não há definição de quais regiões receberão os agentes, mas a tendência é de que uma parte significativa reforce o trabalho das forças de segurança na Região Metropolitana.

Essa é a primeira etapa de convocações. As demais, de acordo com cronograma do governo do Estado divulgado em novembro do ano passado, estão previstas para março e novembro de 2021 e março de 2022 (veja detalhes abaixo). A projeção inclui, ainda, a contratação de agentes penitenciários a partir de março do ano que vem. No entanto, a data pode ser modificada a partir da inauguração de presídios.

Ao todo, serão chamados 4.459 novos servidores até 2022. O número previsto para agente penitenciário pode ser alterado em razão da inauguração de presídios.