Evite tentações e mantenha o peso com ajuda da reprogramação mental

62

Recusar doces pode parecer impossível para quem não abre mão de um chocolatinho. Se você faz parte desse grupo, nada de desânimo: o grande segredo para perder e manter o peso pode ser conciliar corpo e mente e buscar manter a autoestima.

Para especialistas na prática, a reprogramação mental pode ser uma aliada nesse processo. “O pensamento interfere em absolutamente tudo, no comportamento e nos seus objetivos. Se você quer reprogramar a sua mente, é necessário entender como você pensa para só depois poder modificar o pensamento, e uma vez modificado o resultado será diferente”, conta a psicóloga Rosângela Casseano, especializada em reprogramação mental, sobre a prática.

A psicóloga Fernanda Mion frisa que é preciso usar o autoconhecimento para saber onde são necessárias mudanças e também para se beneficiar delas. Afinal, a partir dessa análise, pode ficar mais claro o motivo de exagerar nas guloseimas. “O poder do pensamento é algo cerebral, nós condicionamos nosso cérebro a ter algum comportamento de acordo com aquilo que queremos. Na reprogramação devem ser analisados sentimentos, pensamentos, e só depois buscar adquirir novas crenças e novos propósitos para resignificar os antigos padrões de comportamento”.

Quer começar? A palavra vai ser sua amiga nessa tarefa, de acordo com quem entende do assunto. Para Rosângela, se você souber o que dizer e acreditar nisso, os seus objetivos serão realizados mais rápido do que imagina. “A palavra tem muita força mental. Por exemplo, se eu disser ‘eu só como coisas saudáveis’, de uma maneira que acredite piamente nisso, isso irá virar realidade. O primeiro recurso de mudança mental é a fala, o cérebro acredita no que é dito e não define se é bom ou mal, ele vai apenas buscar recursos químicos para fazer prevalecer e realizar o que foi programado.”, explica.

Deixe de lado a palavra “não”
Palavras negativas devem ser descartadas por pessoas em busca de mudança. Rosângela aconselha trocas simples, como optar por “Eu prefiro alimentos saudáveis” no lugar de “Eu não gosto de doce”. Então frise sempre condutas positivas, até quando for negar algo. “Se no dia-a-dia você repetir várias vezes a frase ‘eu sou saudável’ e alguém for te oferecer chocolate será mais fácil recusar” completa.

Para Fernanda, “a ideia é usar a linguagem específica para o que quer que aconteça. E pensar em se alimentar corretamente, porque o alimento é o combustível para o seu corpo, isso vai ativar memórias positivas do cérebro”.

Proteja-se do sentimento de culpa
Escorregou no seu propósito e comeu mais do que devia? Então respire fundo, perdoe a própria falha e continue com a alimentação regrada e saudável. O mais importante é não desistir. “Nessa hora é muito importante fazer o treino mental de que está tudo bem, acreditar que foi apenas uma exceção, mas que na próxima refeição voltará tudo ao normal, isso é um jeito de se dar parabéns, de se autopromover”, finaliza a psicóloga.