Fatores fundamentais no desenvolvimento da linguagem infantil

94

A comunicação humana está presente na vida dos seres humanos desde a sua gestação. Dentro do ventre materno já reconhecemos a voz dos nossos pais, sentimos o aconchego e carinho dos nossos cuidadores, assim como outros sentimentos de raiva ou medo, que também podem ser percebidos pelo bebê até mesmo pelo tom de voz materno.

O desenvolvimento da linguagem acontece desde este período da concepção, onde a criança e a mãe criam um vínculo muito forte. Quando o bebê nasce, já reconhece a voz da mãe e do pai e se acalma com alguns sons que ouvia dentro da barriga.

Durante o primeiro ano de vida, muitos fatores podem influenciar no bom desenvolvimento da comunicação de uma criança. São eles: amamentação no peito, a interação e um bom vínculo materno e paterno, estimular o desenvolvimento físico, emocional e cognitivo do seu filho através de brincadeiras adequadas para cada faixa etária, ouvir músicas, contar histórias. Todos estes fatores favorecem o processo de aquisição da fala, pois é ouvindo e interagindo com o ambiente ao seu redor que o bebê aprende a simbolizar e dar significado as coisas.

Por isto é muito importante verificar se a criança está ouvindo bem, ou seja, direciona a cabeça em direção ao som, obedece a ordens simples, reage à voz das pessoas, faz contato visual, demonstra interesse em explorar os objetos, realiza sons com a boca (balbucios).

Existem diversos fatores que podem propiciar o “Atraso no Desenvolvimento da Linguagem da Criança”. São eles:

1. falta de estímulos por parte dos pais ou cuidadores, ou seja, a criança fica muito tempo em frente à televisão/tablet/celulares sem conversar com ninguém, falta de contato com outras crianças, pouca interação com as pessoas e objetos ao seu redor, muito tempo com a chupeta e/ou mamadeira na boca;

2. dificuldade auditiva, causada por otites ou outros fatores, o que prejudica que ela aprenda os significados dos sons;

3. problemas neurológicos ou cognitivos, síndromes, transtorno do espectro autista;

4. apraxia verbal, que é a dificuldade motora para realizar a articulação dos sons da fala.

Dicas para ajudar no desenvolvimento da linguagem de seu filho:

– interaja com ele desde a gestação, converse, diga como se sente e o quanto ele é importante para você, cante para seu bebê;

– propicie momentos de brincadeiras em família, deixe a criança explorar os objetos e brinquedos, sempre sob supervisão de algum adulto, mas deixe que ela se movimente e reconheça o ambiente ao seu redor;

– explique sempre o que está acontecendo, dando significado para as suas ações, isto estimula a criança a querer conhecer coisas novas, como por exemplo, na hora do banho diga quais partes do corpo estão sendo lavadas (agora vamos lavar o pezinho, a barriguinha…). Na hora de dar comida explique o que ela está comendo (vamos comer banana, está gostosa a banana filho?);

– converse com seu filho sempre, mesmo que ele não responda, diga os nomes dos objetos, mostre o significado deles, para que servem;

– leve seus filhos em parques e passeios ao ar livre, onde estimulem o seu contato com outras crianças;

– conte histórias para ele/ela, tire um tempo por dia para ler, ouvir músicas, dançar, brincar somente ele e você.

A criança na fase do 0 aos 12 meses está absorvendo tudo que acontece ao seu redor, portanto, quanto mais você favorecer que ela tenha contato com estímulos visuais, auditivos, táteis, olfativos, melhor será o seu desenvolvimento global e , consequentemente, a sua linguagem compreensiva e expressiva acontecerá de uma forma natural e espontânea.

Caso seu filho não esteja falando até os 3 anos de idade, ou tenha um vocabulário muito restrito, uma fala difícil de entender, utilizando-se apenas de algumas sílabas para se comunicar, procure um fonoaudiólogo, que é o profissional capacitado para o tratamento da comunicação humana.