Fones de ouvido podem causar surdez; veja outros sons prejudiciais

166

Especialistas alertam: é preciso cuidar da saúde auditiva para chegar à terceira idade ouvindo bem. O que não parece fácil para a geração que parece ter o fone de ouvido como “acessório de fábrica”.

Cada dia mais popular entre crianças e adolescentes, o uso indiscriminado de fones de ouvido, por longos períodos e em volume acima do normal, causa perda de audição. E o pior é que a pessoa nem percebe o processo, já que a perda da audição é gradual.

“Essa população de usuários vai ter queixa anterior ao tempo que deveria ocorrer, que é por volta dos 75 anos de idade, por causa do envelhecimento”, alerta o otorrinolaringologista Arthur Castilho. “A morte das células auditivas pelo envelhecimento é um processo programado geneticamente, e vai acontecer com todo mundo, mas deveria ser apenas no tempo certo.”

A perda anterior pode acontecer porque o som alto “acorda” alguns genes que deveriam se manifestar só na terceira idade. “Acordar o gene mais cedo é uma sobreposição de problemas”, afirma o médico.

Mas o que faz uma pessoa ficar surda? O otorrinolaringologista explica que alguns já nascem sem ouvir – por razões genéticas ou por infecções durante a gestação. A maioria dos casos, no entanto, acontece por traumas acústicos, infecções durante a vida e por abuso da audição com sons altíssimos, como os dos fones de ouvido.

Fogos de artifício, máquinas em indústrias, britadeiras, conversas excessivas e ruídos altos também machucam o ouvido. Quem tem ouvido sensível, sente um desconforto já no final do dia: há uma perda de audição significativa, que pode ser acompanhada por um zumbido ou chiado. No dia seguinte, no entanto, tudo parece estar melhor.

Se a exposição ao ruído, som ou barulho alto foi temporária, o ouvido trabalha arduamente para se recuperar e costuma conseguir. Mas, se a agressão à audição for frequente, o ouvido entrega os pontos e os nervos vão sendo lesados.