Governo do RS mantém restrições das atividades econômicas nas regiões de Passo Fundo e Lajeado

222

Após uma nova leitura sobre os números de casos de Covid-19 e ocupação de leitos , o governador Eduardo Leite determinou que não haverá a possibilidade de flexibilização – ou seja, mudança na bandeira de risco – para as regiões de Passo Fundo (Norte) e Lajeado (Vale). Com isso, ambas continuam identificadas com a bandeira vermelha, que prevê apenas o funcionamento de atividades econômicas consideradas essenciais pelo Estado. A próxima leitura das bandeiras – que serve como indicador para as ações do modelo de Distanciamento Controlado – ocorrerá em todas as regiões do RS no sábado.

“Nos propusemos a fazer a identificação no mapa se as regiões deveriam ter a redução do nível de risco e, consequentemente, as restrições menores em relação ao comércio. Mesmo observando que tenha havido a disponibilização de novos leitos, o número de internações subiu proporcionalmente aos leitos, tanto em Passo Fundo quanto em Lajeado. Não é possível neste momento o abrandamento das restrições nestas regiões”, comunicou Eduardo Leite, em videoconferência nesta quinta-feira.

A nova leitura dos dados ocorreu após a cidade de Passo Fundo ganhar 13 novos leitos, autorizados e custeados pelo Executivo. A medida também cumpriu um pedido dos prefeitos que, segundo Leite, pressionaram o Estado pela flexibilização das atividades. Em resposta, o governador disse que “não confunde diálogo com fraqueza” e lembrou que sempre esteve à disposição das prefeituras para discutir as medidas tomadas no combate da pandemia de Covid-19.

O balanço epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES) aponta que o Rio Grande do Sul possui 2.129 caso confirmados do novo coronavírus, distribuídos em 169 municípios gaúchos. O mesmo balanço mostra também 90 mortes reportadas até esta quinta-feira.

A cidade de Passo Fundo possui 226 pacientes com Covid-19 e 17 mortes, o mesmo número de óbitos de Porto Alegre. Já Lajeado possui 169 quadros clínicos positivos e 8 óbitos em decorrência do coronavírus.

Por fim, o governador Eduardo Leite classificou como uma “manobra” o decreto publicado, nesta quinta-feira, pelo presidente Jair Bolsonaro que inclui o setor da construção civil no rol das atividades consideradas essenciais. Segundo Bolsonaro, outros setores devem ser incluídos “nas próximas horas e nos próximos dias” na flexibilização. O governador do RS, no entanto, disse que decisão “não mudará a política estadual”, que segue tendo autonomia para decidir as condições com que essas atividades irão vigorar em todo o território gaúcho.