Governo do RS recebe 67 recursos que pedem reconsideração da bandeira vermelha

472

O governo do Rio Grande do Sul recebeu 67 pedidos de recursos sobre os dados utilizados na oitava rodada do Distanciamento Controlado, em que nove regiões aparecem com a bandeira vermelha, consideradas de risco epidemiológico alto do coronavírus.

Pelo menos um município ou associação regional, classificada na bandeira vermelha, encaminhou o recurso. Das nove regiões em laranja e das duas em amarelo não houve pedidos. O prazo era até as 6h30min deste domingo.

Os pedidos passarão por análise do Gabinete de Crise na segunda-feira e, no mesmo dia, à tarde, o governador Eduardo Leite fará o anúncio do mapa final, com as bandeiras que passarão a valer a partir de terça-feira.

Conforme divulgado na sexta-feira, no total, 301 cidades ficaram com bandeira vermelha no mapa preliminar. Destes, 185 podem adotar protocolos previstos na classificação laranja, sem necessidade de recurso ou revisão da cor, porque não têm registro de hospitalização e óbito por Covid-19 de morador nos últimos 14 dias.

Basta que mantenham atualizados os registros nos sistemas oficiais e adotem regulamento próprio, com protocolos para as atividades previstas na bandeira laranja.

Além das quatro regiões que já estavam na bandeira vermelha, o mapa do Distanciamento Controlado apontou piora nos indicadores em outras cinco regiões: Caxias do Sul, Erechim, Palmeira das Missões, Passo Fundo e Santo  ngelo. Somadas a Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo e Canoas.

Somente as regiões de Taquara e Bagé se encontram em bandeira amarela. As regiões de Santa Maria, Uruguaiana, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Pelotas, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul e Lajeado, que já estavam, e Santa Rosa, que se encontrava em bandeira amarela, ficaram com bandeira laranja nesta rodada.