Indústria gaúcha reduziu em 75% a taxa de acidente de trabalho

11

Pesquisa realizada pelo Serviço Social da Indústria (SESI) mostra que 71,6% das indústrias estão dando prioridade à gestão de segurança e saúde dos trabalhadores e que 76,4% dos entrevistados acreditam que o nível de atenção da indústria brasileira com o tema deve aumentar nos próximos anos.

A indústria gaúcha de bebidas Fruki, por exemplo, decidiu investir em saúde e segurança após receber consultorias do SESI Rio Grande do Sul e perceber como isso poderia impactar positivamente na empresa. A indústria conseguiu reduzir os acidentes de trabalho em 75%. Além disso, segundo o coordenador de Saúde e Segurança do Trabalho da Fruki, Paulo Sérgio Labres, um dos grandes resultados é a redução de cerca de 52% do Fator Acidentário de Prevenção (FAP).

“É importante entender que cada real que colocamos na segurança do trabalho é um investimento e não um gasto. E os resultados são percebidos na saúde e segurança e bem estar de cada profissional.”

O gerente de Saúde e Segurança no Trabalho do SESI do Rio Grande do Sul, Antonino Germano, explica que o SESI oferece consultoria às indústrias do estado para ajudar as empresas a proporcionarem um ambiente saudável para o trabalhador, sem deixar de pensar no desempenho da empresa.

“O SESI tem esse grande objetivo da qualidade de vida do trabalhador, mas sem nunca desvincular isso da competitividade da empresa. O objetivo lá na frente é a redução de custos, porque com a redução de custos você vincula diretamente ganho de competitividade da empresa.”

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) identificou e encaminhou aos candidatos à Presidência uma série de propostas para a modernização previdenciária e da saúde e segurança do trabalhador. Entre as medidas estão a inclusão de metas de segurança e saúde no trabalho para fins de participação nos lucros e resultados das empresas e a participação das empresas na perícia médica do INSS, realizada quando o trabalhador precisa se afastar.