Inter pode perder até R$ 1 milhão com redução de cotas da TV aberta

174

A direção do Inter terá nesta segunda-feira duas videoconferências que poderão complicar ainda mais a economia do clube, já afetada pela paralisação do Futebol devido a pandemia da Covid-19. O Colorado voltará a negociar o rompimento de contrato de transmissões em canais fechados proposto pela Turner e irá se reunir com as demais agremiações do país para uma definição sobre o anúncio da Rede Globo de reduzir as cotas da exibição em canais abertos nos meses de abril, maio e junho. Caso seja confirmada, a expectativa é de uma redução de R$ 1 milhão nos três meses.

À noite, o vice-presidente Alexandre Chaves Barcellos terá mais uma reunião com a Turner para novas negociações sobre o contrato. Se ocorrer o rompimento contratual por parte da emissora, o Colorado entende que tem a receber R$ 30 milhões pelo último ano de contrato, 2020. Tanto o Inter quanto a Turner acreditam que o acordo original, anunciado pelo ex-presidente Vitorio Piffero em 2016, foram desrespeitados.

Há algumas semanas, a empresa notificou o clube afirmando que ele permitiu a transmissão para TV aberta de um número extra de partidas. O Inter respondeu afirmando que foi a emissora, ao parar as transmissões pelo canal Esporte Interativo, quem descumpriu inicialmente o contrato ao diminuir a exposição acordada com o clube.

Segundo estimativas da direção, se a paralisação do futebol persistir por até 90 dias, os cofres colorados devem sofrer com uma diminuição de receita na ordem de cerca de R$ 100 milhões.