Jovem de Aratiba participa da Romaria da Terra

1867

Na última terça-feira (09) aconteceu a Romaria da Terra em São Gabriel, Diocese de Bagé/RS. A jovem Rafaela Delagostini, integrante do Grupo de Jovens da Paróquia São Tiago de Aratiba, participou na Romaria, juntamente com mais pessoas da Diocese de Erechim. Rafaela escreveu o texto abaixo, relatando como foi o evento. (O texto está na íntegra, escrito por Rafaela).

“Essa terra tem dono, foi Ñanderu que a revelou para nosso povo”. “O Encontro representa a afirmação de que a nossa luta continua, assim como o sonho de Sepé pela conquista, na defesa de uma Terra Sem Males e pelo direito de vivermos em paz” afirmam os indígenas no documento. “Somos os guardiões da terra e de nossas tradições, só descansaremos quando tivermos a certeza de que nossos filhos crescerão livres e tranquilos sobre nossas terras tradicionais e ancestrais”. O 10º Encontro aconteceu na data em que se completam 260 anos do assassinato do líder Guarani Sepé Tiaraju, morto pelos exércitos de Espanha e Portugal numa emboscada em 7 de fevereiro de 1756 no hoje município de São Gabriel (RS). Este é o segundo ano que participo da romaria da terra, momento importante de reafirmar o compromisso como cristã, na luta pela terra, essa que também é nossa vida.  Cerca de 12 mil trabalhadores do campo e da cidade, junto com milhares de jovens fizeram suas orações e acompanharam o legado deixado por Sepé e os indígenas massacrados.  Foram muitos momentos de partilha  e vivências, que só puderam ser sentidas pelos jovens que estiveram ali presentes que fizeram cada momento valer a pena. Foram realizadas diversas plenárias, com diversos assuntos referidos a terra e aos direitos dos índios e dos jovens. Fizemos diversas cirandas, tomamos banho de chuva e rezamos muito pela vida. Fizemos várias amizades, partilhas e  compartilhamos sorrisos, abraços, e carinhos que tocaram o coração  e hoje o que sentimos é um gostinho de quero mais e saudade. Passamos por algumas dificuldades, pois choveu bastante e destruíu a lona onde aconteciam as plenárias. Mas graças a Deus ningúem ficou em baixo, tinha muito vento, muitos perderam barracas e as roupas que tinham, pois molhou tudo. Mas mesmo assim permaneceram ali firmes e fortes, lutando por seus ideias, sonhos e utopias que é o que nos move. Deus se mostrou presente de diversas formas neste nosso acampamento e romaria, nos fez repensar nossas atitudes e nossa vida.