Leite mantém restrições ao comércio até 30 de abril nas regiões de Porto Alegre e Caxias do Sul

370

O governador Eduardo Leite anunciou, na tarde desta quarta-feira (15), que as restrições de fechamento do comércio serão mantidas em novo decreto até o dia 30 de abril nas regiões metropolitanas de Porto Alegre e Caxias do Sul, onde há maior incidência do coronavírus no Rio Grande do Sul. A flexibilização foi concedida somente aos demais municípios do interior gaúcho, em que os prefeitos estão autorizados a permitir a reabertura das atividades do comércio, desde que observadas regras de acesso e de higiene.

As novas regras de distanciamento social serão publicadas em decreto ainda nesta quarta-feira (15) ou, mais tardar, na manhã de quinta-feira (16), informou Leite. Às 17h30min, o governo divulgou a lista de municípios que fazem parte dessas regiões .

O governador alegou que é preciso fazer uma transição segura entre a restrição mais rigorosa para uma mais flexível.

— É uma migração para um modelo de distanciamento controlado — afirmou Leite.

A decisão se mostra cautelosa já que, antes de anunciar o conteúdo do novo decreto, Leite mostrou dados que indicam que o Rio Grande do Sul conseguiu achatar a curva do coronavírus: na comparação com outras unidades federativas, tem algumas das menores taxas de infecção de pessoas e também de óbitos. O Rio Grande do Sul é o terceiro Estado de letalidade mais baixa do vírus. A disseminação também é mais lenta por aqui, com 6,2 casos para cada 100 mil habitantes, enquanto o Brasil tem índice de 12 infectados na mesma escala populacional.

—  A ciência nos adverte sobre o comportamento sinuoso do vírus, lidamos com algo desconhecido e as certezas são provisórias. Nossa estratégia é feita pensando em poupar vidas. Não podemos admitir perder qualquer vida —  alertou o governador.

Com a decisão de Leite, nas regiões metropolitanas de Porto Alegre e Caxias do Sul, estão autorizados apenas o funcionamento de serviços essenciais, como mercados e farmácias. Se os prefeitos das cidades desejarem, eles podem editar decretos para autorizar funcionamento de restaurantes e lanchonetes, que foi uma flexibilização feita por Leite em 9 de abril. Já o comércio em geral segue fechado, apesar da pressão de entidades empresariais que alertam para os riscos econômicos.

No interior, afora as regiões de Porto Alegre e Caxias do Sul, os prefeitos poderão editar decretos próprios autorizando os comércios locais a voltaram ao trabalho, com protocolos a serem observados.

— A Região Metropolitana responde por mais de 50%, cerca de 60%, do número de casos. Associado à Serra gaúcha, são 70% dos casos no Rio Grande do Sul. E pela alta relação de interdependência econômica dos municípios destas regiões, mantemos as políticas de distanciamento sem a possibilidade de flexibilização. Entendemos que essa é a forma adequada — argumentou Leite a respeito da decisão de manter as restrições nestes locais.