Na bênção do Santuário revitalizado, Dom José lembra benfeitores de ontem e de hoje

493

Na festiva solenidade da Assunção de Nossa Senhora, neste terceiro domingo do mês vocacional, dedicado à vida religiosa, em tarde de sol depois de bastante chuva, em missa solene, Dom José realizou a bênção do Santuário revitalizado, entronizou a imagem de Maria na capela de Nossa Senhora, fez a dedicação do altar e inaugurou o sacrário na capela do Santíssimo.

A missa foi concelebrada por Dom Girônimo e 24 padres, com a participação de 5 diáconos, seminaristas, religiosas, coral Nossa Senhora de Fátima e muitos fiéis que lotaram completamente o Santuário. Presentes também diversas autoridades, entre elas o Vice-Prefeito em exercício, Marcos Lando, no licenciamento do Prefeito Municipal, e o Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Ale Dalzotto.

A cerimônia iniciou com a bênção da água e a aspersão da assembleia e das paredes do templo, bem como com a entronização da imagem de N. Sra. de Fátima na capela a ela dedicada. Após a proclamação da Palavra da solenidade da Assunção de Nossa Senhora, Dom José proferiu a homilia. Concluída a homilia, passou ao rito da dedicação do Altar que consta da ladainha de todos os santos, pedindo seu auxílio para aquela ação ritual, da oração do rito, na qual se pede a Deus a graça de que o Altar seja a mesa sagrada na qual o povo se revigora na fé, a unção do Altar com óleo do Crisma, queima do incenso, colocação das toalhas litúrgicas e das velas (revestimento e iluminação).

A unção do Altar, que representa Cristo, expressa que Ele é o ungido de Deus Pai, enviado para realizar a salvação de todos, entregando sua vida no altar da santa Cruz. O incenso queimado no Altar manifesta que o sacrifício nele realizado e as preces dos fiéis sobem a Deus como perfume suave. A incensação das paredes e da assembleia significa a consagração do povo a Deus. O revestimento do Altar recorda que ele é a mesa do Senhor, ao redor da qual os fiéis se unem em oração. A iluminação remete a Cristo, luz do mundo que deve ser irradiada por seus discípulos.

Com o Altar devidamente preparado, nele foram colocadas, pela primeira vez, as oferendas do pão e do vinho para a liturgia eucarística.

No final da celebração, Dom José expressou especial agradecimento aos membros das Comissões Técnicas e Econômica do projeto de revitalização do Santuário, chamando-os para frente. Nem todos puderam estar presentes ou conseguiram chegar até o local. O Bispo também agradeceu a todos os colaboradores do projeto, pessoas, famílias, comunidades e empresas. Observou que nos próximos dias serão realizados alguns ajustes finais e serão recolocados os bancos que estão ainda em reforma e pintura. Motivou também para a etapa final do projeto, a capela da reconciliação e os confessionários. Enfatizou sua confiança na Providência Divina para os recursos necessários, que se revela através da colaboração de todos.

O Vigário Geral da Diocese, Pe. Cleocir Bonetti, também fez breve pronunciamento. Ressaltou que sua palavra era de agradecimento a Deus, a N. Sra. e a todos os que colaboraram com o projeto, mas de modo especial a Dom José. Disse que se sentia porta-voz de muitas pessoas que se referiam à obra e à coordenação da mesma por Dom José. Registrou a passagem dos cinco anos dele como Bispo da Diocese, neste sábado, tendo já realizado a visita pastoral a todas as comunidades, incluindo especial contato com os doentes. Ressaltou a prioridade dada por Dom José à formação e a diversas outras metas pastorais. Referindo-se especificamente ao projeto, disse ser obra de muitas mãos, de muitas pessoas que atuaram com o coração. Projeto bem pensado, ousado, questionado, criticado, acolhido, elogiado, em grande parte já realizado. Agradeceu a Dom José a sua dedicação constante nas muitas reuniões das comissões, na busca de recursos, no acompanhamento dos trabalhos. Enalteceu seu empenho diuturno, sua coragem, sua ousadia, sua determinação, sua exigência no seguimento das diversas etapas.

Na saudação inicial de sua homilia, Dom José manifestou seu pesar à família Badalotti e à equipe da Rádio Difusão pelo falecimento de seu diretor, Senhor Ydílio, no dia de ontem, ressaltando que ele possibilitou inúmeras transmissões radiofônicas diretamente do Santuário, especialmente nas Romarias e em outros momentos de celebrações especiais. Lembrou os benfeitores do conjunto Seminário e Santuário de ontem e de hoje, que tornaram possível este centro de espiritualidade, que foi revitalizado. Projeto que parecia um sonho, mas que foi realizado. A propósito, citou Dom Helder Câmara que dizia que sonho sonhado sozinho permanece sonho. Porém, sonho que se sonha junto é começo da realidade. Esse se tornou realidade pelo espírito de fé, de partilha, solidariedade e gratidão de tantos colaboradores. Recordou que o projeto está sendo realizado tendo em vista a passagem dos cem anos das aparições de Fátima, mas também como gratidão primeiramente a Deus, a Maria pelas graças derramadas sobre o nosso querido povo, aos antepassados que construíram, com espírito de fé, de comunidade e com muito sacrifício, todo este conjunto do Seminário de Fátima. Referiu-se à solenidade do dia, a Assunção de Maria ao céu e o hino de louvor a Deus que ela cantou. Com algumas referências bíblicas, abordou a natureza do altar, mesa do sacrifício de Cristo que nele se realiza pela ação do sacerdote e as diversas partes do rito de sua dedicação. Por fim, desejou que o Ano Nacional Mariano e Diocesano das celebrações do centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima possa reavivar no coração de todos o cuidado pela vida, principalmente onde ela se encontra mais fragilizada, o amor pela família, a sensibilidade pela caridade e a nossa espiritualidade, para valorizarmos a presença do Senhor, que caminha conosco na nossa história pessoal e comunitária.