Na Campanha da Fraternidade, olhar a realidade da Casa Comum e dos irmãos

1456

Ao lançar a Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano na Diocese de Erexim, nesta quarta-feira de cinzas, na Catedral São José, o bispo diocesano exortou a todos a viver a quaresma como tempo de proximidade maior com Senhor a fim de que, envolvidos por sua misericórdia, possam ver a realidade da Casa Comum e a vida dos irmãos e irmãs que vivem em situações e ambientes degradados, não queridos por Deus. Para Dom José, quando a Casa Comum não é cuidada, se faz padecer não só os irmãos e irmãs, mas o próprio Criador, que ao completar a sua obra pôde admirá-la e ver que tudo era bom. O bispo ressaltou que promover a justiça ambiental, assumir a responsabilidade pela Casa Comum e denunciar os pecados que ameaçam a vida no planeta é missão confiada por Deus a cada ser humano. O ato de lançamento da Campanha lembrou também a mensagem do Papa Francisco para a quaresma deste ano, na qual exorta de modo especial à prática das obras de misericórdia corporais e espirituais.

Íntegra da reflexão de Dom José no lançamento da Campanha da Fraternidade:

Saúdo os sacerdotes, os irmãos e irmãs presentes aqui na Catedral São José, e também você radiouvinte que nos acompanha através da rede de emissoras de rádio da nossa região e outros meios de comunicação. Com carinho e estima, envio uma saudação especial aos nossos irmãos das Igrejas Cristãs, envolvidas na Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016, e também aos enfermos e àqueles que cuidam deles nas famílias, nos hospitais e nas casas de repouso.

Hoje, quarta-feira de cinzas, marca o início do tempo da Quaresma. Tempo de escuta, de reflexão, de olharmos para o nosso interior para buscarmos uma proximidade maior com o Senhor, e, renovados e fortalecidos pela sua misericórdia, poder levantar os olhos para vermos a realidade da nossa Casa Comum e a vida dos irmãos e irmãs que vivem em situações e ambientes degradados, não queridos por Deus. Quando a Casa Comum não é cuidada, não estamos fazendo sofrer só os nossos irmãos e irmãs, estamos fazendo padecer também o Criador, que ao completar a sua obra pôde admirá-la e ver que tudo era bom.

Pela quarta vez, desde que foi iniciada, a Campanha da Fraternidade é Ecumênica. Participa desta Campanha um grupo de Igreja Cristãs, cuja fé em Jesus Cristo nos une e nos motiva a trabalharmos juntos pela defesa e na construção de uma Casa Comum justa, sustentável e habitável para todos os seres vivos.

A Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016 apresenta o tema: “Casa Comum, nossa responsabilidade”, e tem como lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24).

O objetivo geral é assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenharmo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa Casa Comum. Faremos essa reflexão a partir de um problema específico que afeta o meio ambiente e a vida de todos os seres vivos, que é a fragilidade e, em alguns lugares, a ausência dos serviços de saneamento básico em nosso País. A responsabilidade pela Casa Comum é de todos, dos governantes e da população.

Não podemos viver na indiferença quando a nossa Casa Comum está sendo ameaçada. Não podemos, portanto, ficar calados. Deus nos convoca para cuidar da sua criação. Promover a justiça climática, assumir nossas responsabilidades pelo cuidado da Casa Comum e denunciar os pecados que ameaçam a vida no planeta é a missão confiada por Deus a cada um e a cada uma de nós.

Senhor, que todos nós, ministros ordenados, instituídos e oficializados, outros agentes de pastoral, as comunidades e as famílias da Diocese, à luz da fé em Jesus Cristo, nesta quaresma do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, nos deixemos envolver pela tua graça, para sermos perdoados e perdoar, bem como para assumir novo jeito de nos relacionarmos convosco, com os outros e com a mãe terra, nossa Casa Comum. Que a tua misericórdia nos faça renascer como novas criaturas, que cuidam com amor da obra de tuas mãos a nossa Casa Comum, para que as futuras gerações possam “ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24).

Declaro neste momento aberta a CFE-2016 na Diocese de Erexim. Invoquemos a bênção de Deus para vivermos com proveito este tempo especial que Ele nos oferece.