“Neste país, não tem uma viva alma mais honesta do que eu”, diz Lula

763

Em café da manhã com blogueiros na manhã desta quarta-feira, no Instituto Lula, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu-se de insinuações de corrupção provocadas pela Operação Lava-Jato:

— Se tem uma coisa que eu me orgulho, neste país, é que não tem uma viva alma mais honesta do que eu. Nem dentro da Polícia Federal, nem dentro do Ministério Público, nem dentro da igreja católica, nem dentro da igreja evangélica. Pode ter igual, mas eu duvido — disse Lula, que não é alvo da Lava-Jato.

Ele disse, ainda, que contratou advogados para processar jornalistas:

— Vou processar todo mundo para ver se consigo colocar ordem na casa. O que fazem com meu filho é uma violência. Dizem que é dono da Friboi, dono da Casa Branca. É muita desfaçatez.

Durante a conversa, Lula defendeu a presidente Dilma Rousseff em relação ao processo de impeachment:

— Dilma sabe que tem três anos de mandato. E tem que decidir como quer deixar o país quando entregar esse mandato. Podem discordar, mas poucas vezes o país teve alguém com a dignidade dela — afirmou o ex-presidente.

Lula ainda defendeu a reforma da Previdência, tema que tem tido resistência entre movimentos sociais, base de apoio do governo. Mas pediu que as mudanças sejam discutidas com a sociedade “de forma civilizada”, e destacou a comissão criada por Dilma que reúne trabalhadores, empresários e governo para discutir temas trabalhistas:

— Acho que essa comissão deve apresentar um projeto para a presidente, quando chegar a uma proposta.

O ex-presidente defendeu a necessidade da retomada da esperança pelo povo brasileiro e disse que as pessoas precisam melhorar o humor e “deixar o ódio embaixo do tapete”.

— Nós vamos voltar a crescer, a gerar emprego e esperança. O povo tem que acreditar que amanhã será melhor e que nem tudo é o síndico que resolve. De vez em quando é preciso fazer algo — disse.