Novas orientações da Diocese de Erexim em relação ao “Coronavírus – Covid 19”

606

Dia 14 passado, a Diocese de Erexim emitiu comunicado com orientações a respeito da atual situação crítica em relação ao “Coronavírus – Covid -19”, a exemplo de outras Dioceses e Arquidioceses.

No referido comunicado se dizia, em relação à evolução da situação entre outras indicações: permanecer atentos às orientações das autoridades de saúde pública.

Assim, a Diocese de Erexim complementa aquele comunicado com as seguintes disposições até o dia 31 deste mês de março:

– suspender todas as celebrações eucarísticas ordinárias com fiéis. Entretanto, em todas as paróquias, os presbíteros celebrem, diariamente, a Santa Missa, de forma privada, em favor do Povo de Deus, incluindo a oração especial do Missal Romano “em qualquer necessidade” A e B. Estas celebrações, onde for possível, sejam transmitidas via internet (Facebook) ou rádio. Recomende-se aos fiéis acompanhar a missa e outros momentos de oração das rádios e televisões católicas;

– suspender a realização de eventos formativos, assistenciais e demais atividades programadas pelas diversas pastorais, comissões e movimentos eclesiais (grupos de oração, reuniões, cursos, palestras, retiros), incluídos os encontros periódicos com catequizandos;

– suspender os eventos nos salões paroquiais e comunitários – festas dos padroeiros, almoços, jantares, promoções sociais de qualquer tipo;

– sobre funerais e exéquias: os ministros que se encontram no grupo de risco não os presidam; em caso de exigência da parte de familiares da pessoa falecida, se observem as determinações gerais: distância entre os presentes e participação mínima de pessoas no ato; havendo a possibilidade, que se faça a celebração ao ar livre, sempre com os cuidados profiláticos;

– que as igrejas permaneçam abertas, higienizadas e bem arejadas, com disponibilização de álcool em gel, para a oração pessoal frequente dos fiéis; para isto, onde possível, colocar em destaque uma imagem de Nossa Senhora para especial veneração e para a súplica de intercessão pela saúde de todos;

– nos outros ambientes eclesiais, redobrar os cuidados com a limpeza e facilitar para que os fiéis tenham acesso a álcool em gel;

– que os presbíteros ampliem os horários de atendimento no templo, respeitando a distância física recomendada, para aconselhamento, bênção e confissões;

– que presbíteros e diáconos cuidem de, pessoalmente, levar aos idosos e doentes que solicitarem a Sagrada Comunhão Eucarística;

– recomenda-se que todas as família realizem um momento diário de oração, com leitura orante da Palavra de Deus, recitação do terço ou ao menos uma dezena dele pedindo a sua intercessão em favor da vida, dom e compromisso, que deve ser cuidada, defendida e promovida deste a concepção até seu fim natural, conforme propõe a Campanha da Fraternidade em andamento nesta quaresma;

– que se tenha a atenção e cuidados às necessidades de vizinhos e familiares com doentes ou venham a ter pessoas em quarentena por causa do coronavírus;

– recomenda-se às pessoas idosas, doentes, crianças e quem tiver sintomas de gripe ou resfriado permanecer em casa e acompanhar por internet, rádio e TV orações e missas;

– sobre as celebrações da Semana Santa e Páscoa serão, em tempo oportuno, emitidas orientações específicas.

Como diz o Arcebispo de Porto Alegre em seu comunicado ao povo de lá: “Vivemos uma pandemia que não foi querida por Deus, mas por Ele permitida; isso também nos chama à conversão para os valores eternos. É tempo de reconstruir a esperança, promover a solidariedade e incentivar a oração. É tempo de ousada criatividade para bem atender o rebanho. Por isso, rezemos pelas autoridades, profissionais da saúde, vítimas e todos os que mantêm o funcionamento da sociedade para superarmos a crise que atinge a todos indistintamente.”

Ou, como diz o Arcebispo de Belo Horizonte: “Este desafio é oportunidade para um recomeço, remodelações de processos e adoção de novos modos de viver na casa comum, no profético horizonte da ecologia integral. Somos convocados à solidariedade, a darmos genuíno testemunho cristão, a partir de atitudes inspiradas na Parábola do Bom Samaritano, conforme nos pede a Campanha da Fraternidade 2020 – Fraternidade e vida: dom e compromisso. Não podemos ser indiferentes. Em vez disso, diante dos que sofrem, devemos aprender a ver a dor do outro, reconhecê-la; sentir compaixão e cuidar.”
A Virgem Maria, a Senhora de Fátima, e Santa Dulce dos Pobres, Anjo Bom do Brasil, intercedam por nós.

Pe. Antonio Valentini Neto
Administrador Diocesano