Pe. Moacir Noskoski assume Paróquia da Glória de Erval Grande

2469

Em missa concelebrada por 12 padres, na noite desta quinta-feira, 28, festa de Santo Tomás de Aquino, o vigário geral da Diocese, Pe. Dirceu Balestrin, em nome de Dom José, oficializou o Pe. Moacir Noskoski como Pároco da Paróquia N. Sra. da Glória, de Erval Grande. Fiéis de todas as comunidades da Paróquia e da Paróquia Santa Luzia do Bairro Atlântico, Erechim, que o Pe. Moacir ajudou a organizar e nela trabalhou desde 2008, lotaram completamente a ampla igreja local.

Pe. Dirceu, na homilia, ressaltou a necessidade intrínseca de a Igreja evangelizar, fazendo brilhar a luz de Cristo, que deve ser oferecida a todas as pessoas de qualquer tempo e de qualquer lugar, conforme o evangelho do dia sobre a missão do discípulo missionário de Cristo ser luz do mundo e sal da terra.

Dirigindo-se ao Pe. Ivacir, manifestou-lhe a gratidão da diocese pelos 13 anos de ação pastoral em Erval Grande, destinado agora para Gaurama. Seu trabalhou marcou a Paróquia que está deixando, com boas recordações. Porém, quando o padre é transferido, o bem realizado por ele permanece na vida de todos os paroquianos.

Agradeceu, igualmente, ao Pe. Moacir pela disponibilidade em assumir a nova função, depois 11 anos organizando e conduzindo a Paróquia Santa Luzia, primeiro como vigário paroquial da São Pedro, junto com Pe. Altair Steffen, e depois como seu Pároco.

Continuando sua reflexão, lembrou que a vida é feita de desafios, particularmente para os padres, peregrinos da missão. A transferência é sempre desafiadora e difícil, mas é também saudável e renovadora. Lembrou a missão do pároco de ser pastor, alimentando as ovelhas através da Palavra de Deus e dos Sacramentos, com atenção especial às mais frágeis. Missão que não realiza sozinho, pois precisa contar com lideranças, comissões, conselhos das comunidades e de toda paróquia. Referindo-se ao santo do dia, o teólogo Tomás de Aqui, homem muito cortês, educador, estudioso e dedicado, desejou que interceda ao novo Pároco de Erval Grande muita alegria, ternura, capacidade de diálogo, graça especial para um ministério fecundo e frutuoso.

Em seguida, convidou Pe. Moacir a renovar seus compromissos da ordenação presbiteral e lhe entregou os símbolos de sua missão paroquial, a Bíblia, pelo Pe. Alvise Follador, a estola, pelo Pe. Valtuir Bolzan e a chave do Sacrário, pelo Pe. Ivacir Franco.

No final da celebração, em agradecimento ao Pe. Ivacir e expressão de perene recordação, um grupo cantou “amigos para sempre”. Dois representantes do Conselho da sede paroquial se pronunciaram em nome de todos os paroquianos. Joarez Galina deu as boas-vindas ao Pe. Moacir, garantindo-lhe que passará a fazer parte de cada família da Paróquia, com votos de que possa exercer seu ministério com amor, fidelidade e alegria entre todos os ervalenses. Francisco Ari Rodrigues recordou o dia 16 de fevereiro de 2003, quando Pe. Ivacir assumiu a Paróquia. Com sua atuação, realizou mudanças na Paróquia e no Município. Foi sempre amigo, parceiro e conselheiro de todos. Observou que os paroquianos não estavam dizendo adeus, mas um até breve, pois a distância de sua nova Paróquia não é grande, podendo haver visitas mútuas.

Por fim, manifestaram-se também o já ex-pároco e novo pároco. Pe. Ivacir disse que procurou realizar sua missão com muita dedicação e pôde contar com todos. Desejou fecundo e feliz ministério para o Pe. Moacir. Este, por sua vez, disse que continuará procurando ser o que foi na Paróquia Santa Luzia, simples, amigo, especialmente das pessoas mais fragilizadas, as crianças, os jovens e os doentes. Recomendou que ninguém tenha receio de se achegar a ele.

Lida a ata pelo secretário paroquial, Luiz Zucco, que está na função há 31 anos, Pe. Balestrin, acompanhado especialmente pelo Pe. Moacir e Pe. Ivacir, deu a bênção final do ato litúrgico. Grande parte dos participantes do mesmo dirigiu-se ao salão paroquial para o jantar. Antes do seu início, o padre que chegava e o que se despedia foram saudados pelo prefeito municipal, Agustinho Scinski, e receberam brindes, kit para chimarrão e uma camisa do Inter, respectivamente.