Por que a redução no consumo de sal traz benefícios para a nossa saúde?

113

O sal é uma combinação de dois minerais (cloreto e sódio), sendo composto por 40% de sódio e 60% de cloreto.

O sódio é um mineral encontrado naturalmente em alimentos. É adicionado durante a produção de alimentos industrializados na forma de sal ou de outros aditivos químicos e na preparação dos alimentos em casa quando adicionamos o sal de cozinha. Ele tem a função de manter o equilíbrio osmótico das células e regula o volume de fluídos corporais como o sangue, além de atuar no funcionamento normal de músculos e nervos. Entretanto a ingestão excessiva desse nutriente é considerada um dos maiores fatores de risco para o desenvolvimento de hipertensão arterial e outras doenças cardiovasculares.

Nesse sentido, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o consumo de sódio para a população adulta seja de até 2.000 mg/dia, o que equivale a até 5 gramas de sal. Esta recomendação inclui todos os alimentos que farão parte da alimentação no dia e não somente aquela quantidade utilizada no preparo ou quando a refeição já está pronta.

O cenário atual é preocupante. O consumo diário de sal do brasileiro é mais do que o dobro da recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS), pois segundo dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF -2008-2009), do IBGE, o consumo diário médio de sal chega a 12 gramas.

A diminuição do consumo de sódio traz benefícios à saúde, como a redução no número de óbitos em 15 % por Acidente Vascular Cerebral e em 10 % por infarto. Ainda, estudos revelam aumento de quatro anos na expectativa de vida para pessoas com hipertensão.

O Ministério da Saúde tem adotado algumas estratégias para a redução do consumo excessivo de sódio, incluindo ações voltadas para a promoção da alimentação adequada e saudável e aumento da oferta de alimentos saudáveis, redução voluntária dos níveis de sódio em alimentos processados e ultraprocessados e alimentos vendidos em estabelecimentos de food service e restaurantes, melhoria na rotulagem nutricional de forma a possibilitar informações mais claras ao consumidor e proporcionar escolhas alimentares mais saudáveis, além de ações de educação e sensibilização para consumidores, indústria, profissionais de saúde e outras partes interessadas.