Queda no preço suíno agrava ainda mais situação do setor

941
A situação do produtor de suínos acaba de ficar ainda mais complicada. Não bastasse toda crise que já leva o suinocultor a pensar em deixar a atividade, foi confirmada nos últimos dias mais uma queda de R$ 0,10 no preço do quilo do suíno pago ao produtor. A Cooper Central Aurora fixou o valor em R$ 2,80, enquanto que demais frigoríficos estabeleceram o preço em R$ 2,70.
Para o presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivânio de Lorenzi, essa queda aprofunda a crise. Além disso, a situação ficou desesperadora, nas palavras dele, pois, enquanto que caiu o valor do quilo do suíno, aumentou o preço da saca de milho. O presidente afirma que o mercado tem dificultado a vida do produtor com essas quedas frequentes.
Dois fatores forçaram a queda no preço do suíno, segundo justificativa das indústrias. Apesar de haver uma melhor na exportação, ela ainda não é compensatória, o que acaba obrigando que os frigoríficos tomem atitudes mais drásticas, como abaixar o valor pago ao suinocultor. A própria crise do setor também é visto como uma das justificativas para a queda.
Muito além da crise na suinocultura, o país vive um dos piores momentos de fragilidade política e econômica. Para Losivanio, se a atual conjuntura permanecer, restará aos criadores de suínos apenas reduzir drasticamente a produção.