Rinite é fator de risco para a COVID-19? Médicos respondem

247

Cada vez mais, existe uma grande preocupação acerca dos fatores de risco da infecção pelo novo coronavírus. Isso porque os pacientes com doenças prévias e certas condições de saúde correm o risco de manifestar um quadro mais grave da doença – com chances de virem a óbito.

Idosos, hipertensos, cardíacos, fumantes, imunossuprimidos e obesos são alguns que fazem parte do grupo de risco da COVID-19 – assim como os pacientes com doenças respiratórias crônicas, como bronquite e asma. Neste conjunto, a taxa de mortalidade pelo novo coronavírus chega a 6,3%, segundo um estudo publicado na revista The Lancet.

Uma doença respiratória crônica muito comum é a rinite. De acordo com a Organização Mundial da Alergia (WAO), entre 30% e 40% da população mundial sofrem com a condição, que é uma das manifestações mais frequentes da alergia.

Além disso, 80% dos asmáticos possuem rinite, segundo a presidenta da Asbai-RJ, Aluce Ouricuri, em entrevista à Agência Brasil. A questão que ficam, então, é se estas pessoas devem ter cuidados redobrados durante a pandemia do novo coronavírus.

Rinite é fator de risco da COVID-19?
Uma vez que o SARS-CoV-2 é um vírus de via respiratória, os pacientes com rinite levantaram a dúvida se podem ter maior risco de desenvolver um caso grave de COVID-19. Em resposta, especialistas da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) informam que os portadores de rinite não fazem parte do grupo de risco do novo coronavírus.

Até o momento, não há nenhuma evidência científica que demonstre um aumento de risco da infecção pelo novo coronavírus ou de apresentarem um caso mais grave. Entretanto, a ASBAI recomenda que os pacientes com rinite e asma sigam as orientações médicas para manter a doença sob controle, evitando uma exacerbação dos sintomas.