Alergia a esmaltes

58

O esmalte, além de deixar nossas unhas bonitas, auxilia no fortalecimento e protege de agressões diárias. Mas o que a maioria das pessoas não sabe é que ele pode sim causar alergias. E hoje em dia, com tantas opções em cores e marcas, ter alergia a esmaltes é realmente lastimável!

Os principais causadores de reações alérgicas estão presentes na resina do esmalte, que têm como função dar a aderência e a durabilidade ao produto. Outro causador de reação alérgica é o tolueno (solvente da fórmula tradicional de esmaltes) e a mica (um pigmento utilizado nos esmaltes cintilantes e perolado).

A alergia ao esmalte, embora não tenha cura, pode ser controlada usando esmaltes antialérgicos ou adesivos de unha, por exemplo.

Você tem alergia a esmaltes?
Os tipos de alergia variam de pessoa para pessoa. A mais comum é a chamada dermatite de contato: uma reação inflamatória na pele, que pode ocorrer nas cutículas e também nas pálpebras, pelo contato do esmalte com a pele fina e sensível dessas regiões.

Quais os sintomas?
Para identificar a alergia ao esmalte, é importante estar atento ao aparecimento de alguns sintomas como:

– Unhas frágeis, que lascam e quebram facilmente;

– Pele avermelhada com bolinhas ao redor das unhas, olhos, face ou pescoço.

– Coceira e dor na pele dos dedos, olhos, face ou pescoço.

– Bolhas de água nos dedos.

– Pele seca e descamativa nos dedos, olhos, face ou pescoço.

Em caso de alergia ao esmalte, nem todos os sintomas precisam estar presentes. Por isso, caso verifique que as suas unhas estão fracas ou quebradiças sem razão aparente, ou caso sinta vermelhidão ou coceira na pele, deve-se consultar o dermatologista logo que possível.

Lembre-se, porém, que unhas fracas e quebradiças nem sempre são sinônimo de alergia ao esmalte, podendo estar associadas a outros fatores como uso constante de unhas de gel ou devido a doenças como anemia.