Dom Adimir fala de características pessoais, experiências pastorais e disposições para o ministério episcopal na Diocese

248

O novo Bispo da Diocese de Erechim, Dom Adimir Antonio Mazali, chegou na cidade no final de segunda-feira (06) e, na tarde desta terça-feira (07), no Santuário de Fátima, concedeu sua primeira entrevista coletiva, transmitida por rádios, facebook e canal do Youtube do próprio Santuário.

Em sua saudação inicial, manifestou sua alegria por iniciar uma caminhada nova, numa nova terra, numa nova missão, depois 27 anos de ministério presbiteral em Cascavel, PR. Referiu-se ao gesto de beijar o chão ao chegar à região. Por ele, recordou São João Paulo II que assim procedia ao chegar em cada país que visitava, do qual é muito devoto e com o qual esteve em diversas audiências nos anos em que estudou em Roma. Lembrou que aquele Papa foi ordenado padre clandestinamente por causa da guerra e da perseguição religiosa e ele, por causa da pandemia, foi ordenado não clandestinamente, mas com participação restritiva.

Características pessoais: De forma até confidencial, Dom Adimir revelou ser tímido, mas também sereno e tranquilo, otimista, valorizando o tempo presente e tudo o que há de positivo na realidade em que se encontra; de fácil adaptação ao lugar em que deve exercer sua missão, de liberdade interior para atender ao que a Igreja lhe propõe. Disse que está conhecendo sua nova residência e organizando suas coisas nela, que vive sentimentos de apreensão e de saudades, naturais depois de sua vida até agora em Cascavel, mas também de confiança.

O desafio de ser bispo: Observou que o padre não espera ser bispo. Ele opta pelo sacerdócio, a escolha para o episcopado não depende dele. Quando o Arcebispo de Cascavel o procurou no dia 30 de março para comunicar-lhe, a pedido do Núncio Apostólico, que o Papa o escolhera para o episcopado, ficou assustado e perguntou-lhe: como ser nomeado bispo neste tempo de pandemia? O Arcebispo lhe respondeu que a Igreja não para. Inspirado na liturgia do dia, cujo salmo proclamava o Senhor é meu pastor que me conduz, nada me falta e como nunca tivesse dito não para a Igreja, deu o sim.

Experiências pastorais: Em seu ministério presbiteral, à luz do lema “sal da terra e luz do mundo”, que retoma como bispo, atuou muito no magistério, na formação de futuros padres, de agentes de pastoral e trabalhou em diversas paróquias.

Disposições para o ministério episcopal na Diocese: Não vem com um plano pronto. Quer conhecer a realidade e somar com o que já está sendo realizado, dar continuidade à missão, concretizar o plano de ação evangelizadora em andamento. Não pretende transferir para cá o que tinha em Cascavel, mas com a experiência lá adquirida viver sua missão aqui. Sempre valorizou a família, a vida desde a concepção até seu fim natural, a formação permanente. Propõe-se viver intensamente sua função de bispo de ser fator de unidade, de promoção da comunhão, respeitando as diferenças, valorizar os momentos bons da caminhada, ser presença de estímulo e encorajamento a todos, à luz de seu lema de ser sal e luz. Valorizar os jovens a partir da família, tendo em vista as riquezas muito grandes que eles têm. Até final do ano pretende visitar as paróquias e seus padres. No contexto da pandemia, levar adiante o que ela despertou de criatividade em todos os setores da vida humana. Especificamente no campo da Igreja, a utilização dos meios de comunicação, das redes sociais, mesmo quando não houver mais restrição para a participação presencial nas celebrações.

Contatos de Dom Adimir após a entrevista: Visitou as dependências da Rádio Virtual, o Seminário e nele o Lar Sacerdotal. Na Cúria Diocesana conheceu seus diversos colaboradores e os serviços específicos que realizam e esteve em sua sala de trabalho.

Dom Adimir Antonio Mazali
Dom Adimir nasceu no dia 16 de maio de 1966, em Ouro Verde do Piquiri no município de Corbélia, PR. É filho de Mário Mazali, falecido, e Leonor Maggioni Mazali. Fez seus estudos primários em Ouro Verde do Piquiri e o obteve Licenciatura em Filosofia em 1988. Em fevereiro de 1989 foi para Curitiba na Comunidade dos Seminaristas do Oeste do Paraná, onde cursou Teologia, concluída em 1992. Foi ordenado diácono em 12 de julho de 1992 na Paróquia Nossa Senhora da Penha, Corbélia e no dia 05 de dezembro do mesmo ano, na mesma cidade, foi ordenado presbítero por Dom Armando Círio, Arcebispo de Cascavel, já falecido.

Funções exercidas:
– Diretor espiritual e Promotor vocacional no Seminário Menor São José em Cascavel de dezembro de 1992 até agosto de 1999.
– Vigário paroquial da Paróquia Imaculado Coração de Maria, Bairro Periolo em Cascavel, de fevereiro de 1995 a maio de 1996.
– Administrador paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Caravággio no Jardim Maria Luiza em Cascavel, de agosto de 1996 a agosto de 1999.
– Em agosto de 1999 foi enviado a Roma, residindo no Colégio Pio Brasileiro, para o Mestrado em Teologia Patrística e História da Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana.
– Administrador do Santuário Diocesano Nossa Senhora da Salette em Braganey de setembro de 2001 até de dezembro de 2002.
– Reitor do Seminário Maior Nossa Senhora de Guadalupe em Cascavel, de fevereiro de 2003 até janeiro de 2009.
Foi também:
– Diretor Espiritual no Seminário Propedêutico em Corbélia em 2005 e 2006.
– Professor no Centro Interdiocesano de Teologia de Cascavel, CINTEC, de 2002 a 2005;
– Secretário Acadêmico, de 2006 a 2009, e Diretor da Faculdade Missioneira do Paraná, FAMIPAR, em diversas áreas da Teologia, especialmente Patrologia, História da Igreja Antiga, Estágio Pastoral e Comunicação e Homilética, de 2009 a 2019.
– Pároco na Paróquia Nossa Senhora de Fátima no Bairro Cancelli, em Cascavel, de 1º de fevereiro de 2009 a 09 de janeiro de 2016.
– Responsável, na Arquidiocese, pela formação dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão Eucarística, membro do Conselho de Presbíteros, do Colégio de Consultores, do Conselho Econômico, do Conselho de Formadores, do Conselho Pastoral, representante do Clero e presidente da Associação do Clero Secular.
– Assessor da Pastoral Familiar na Arquidiocese desde 2014 e do Regional Sul 2, Paraná, desde 2018;
– Pároco da Catedral Nossa Senhora Aparecida em Cascavel de 10 de janeiro de 2016 até agora.