Pe. Clair celebra jubileu de prata presbiteral na comunidade em que foi ordenado diácono

409

Ordenado presbítero no dia 07 de janeiro de 1995, na igreja N. Sra. dos Navegantes, de Campinas do Sul, Pe. Clair Favreto, Reitor do Seminário Maior São José da Diocese de Erexim em Passo Fundo, celebrou seu jubileu de prata presbiteral dia 18 de janeiro, na comunidade São Bonifácio, Coxilha Seca, município de Ponte Preta e Paróquia de Campinas do Sul, onde ele foi ordenado diácono no dia 26 de dezembro de 1993, localidade em que sua família residia antes de se transferir para Farroupilha.

Além do Arcebispo de Passo Fundo, Dom Rodolfo Weber, participaram da missa de ação graças cerca de 30 padres, sete religiosas e um religioso, seminaristas, pais, irmãos, parentes e amigos do jubilar. Os padres eram da Diocese de Erexim, em maior número, de Vacaria, Cruz Alta e Uruguaiana e da arquidiocese de Passo Fundo. Pe. José Carlos Sala animou a música e os cantos. Pe. Valtuir Bolzan fez a apresentação dos padres e dos outros participantes. Na procissão de entrada, familiares do Pe. Clair entronizaram símbolos que recordavam aspectos da vida dele, seus estudos, sua ordenação, seu tempo de trabalho e seu apreço pelo futebol.

A homilia esteve a cargo do Pe. Cleocir Bonetti, Coordenador da Cúria Diocesana de Erexim, que ressaltou o lema de ordenação e de vida do irmão no ministério presbiteral, “É necessário que se cumpra toda a justiça” (Mt 3, 15). Acentuou o contexto da passagem do Evangelho da qual foi tomado o lema, o Batismo de Jesus, no qual ele se colocou na fila dos pecadores e imergiu na água e na realidade humana, santificando-a e prenunciando o novo Batismo, na água e no Espírito. Por aquele Batismo, Jesus assumiu a missão do servo de Deus dos poemas do profeta Isaías, um dos quais constava da leitura da missa. Pe. Bonetti ressaltou também o compromisso do Batismo de cada um, especialmente realizando a justiça de Deus.

No final da celebração, houve alguns pronunciamentos e homenagens e a mensagem do próprio Pe. Clair. Pela comunidade, falou o ministro; pela família, uma sobrinha e afilhada do Pe. Clair.

Após a missa, todos se dirigiram ao salão da comunidade, onde degustaram saboroso almoço, preparado com carinho por um grupo de voluntários.