Município de Itá registra o primeiro caso de Sarampo em 2020

256

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) do Estado de Santa Catarina confirmou através do último boletim informativo que o Município de Itá registrou o primeiro caso de Sarampo neste ano.

Conforme dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde na sexta-feira (14), já foram confirmados 47 casos de sarampo neste ano, em 12 municípios catarinenses:

Florianópolis – 17
Joinville – 13
Porto União – 6
Jaraguá do Sul – 2
Schroeder – 2
São José – 1
Guaramirim – 1
Blumenau – 1
Itá – 1
Maravilha – 1
Três Barras – 1
Videira – 1

SC investiga 13 possíveis casos
O setor epidemiológico aguarda o resultado de 13 análises que se enquadram como casos suspeitos. Até a sexta semana deste ano, foram 92 notificações com 37 delas sendo descartadas após análise laboratorial. O Estado vive um “surto” da doença, com 288 confirmações ao longo de 2019. Dos 295 municípios catarinense, 37 registraram casos para o sarampo.

Este sábado (15) é o Dia D de vacinação contra o sarampo em Santa Catarina. As unidades de saúde estarão atendendo até 17h para vacinar pessoas com idade entre seis meses e 49 anos. Deve se imunizar quem não tenha tomado as doses contra a doença ou que não esteja com o esquema vacinal completo, diz a Diretoria de Vigilância Epidemiológica do estado (Dive-SC).

A vacina contra o sarampo é indicada nas seguintes faixas etárias:

6 meses de vida: dose zero
1 ano de idade: primeira dose
1 ano e 3 meses: segunda dose e última dose por toda a vida

No momento, segundo a Secretaria de Saúde, a maior preocupação é com os jovens adultos com idade entre 20 e 29 anos, por ser um público que costuma frequentar shows, bares, festas e locais de grande circulação, facilitando a transmissão da doença. Desde o início do surto de sarampo no estado, ainda 2019, até o dia 8 de fevereiro deste ano, já foram confirmados 148 casos nessa faixa etária.

A doença e os sintomas
O sarampo uma doença respiratória que pode causar complicações, como pneumonia, e, em casos mais graves, levar à morte. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa por secreções expelidas na tosse, no espirrar ou na fala. O vírus pode permanecer no ambiente por até duas horas.

Os sintomas são:

febre alta
coriza
tosse
olhos avermelhados
manchas vermelhas