Avicultores temem prejuízos altos com problemas para exportar frango da BRF em Santa Catarina

300

Cerca de 15 mil avicultores de Santa Catarina temem prejuízos altos com o embargo da carne de frango de 20 frigoríficos do Brasil, anunciada semana passada pela União Europeia. Três deles ficam no Oeste do estado, são unidades da BRF em Concórdia, Capinzal e Chapecó.

Os pátios das empresas estão cheios de caminhões câmaras frias servindo de estoque para a produção. Estima-se que cerca de quatro mil toneladas deixem de sair para a Europa, nas três plantas.

Para tentar reverter o embargo, o Ministério da Agricultura anunciou que vai recorrer à Organização Mundial do Comércio (OMC).

“A OMC é uma organização que pode ajudar e que pode auxiliar neste contexto, segurando a questão da qualidade do produto brasileiro. E que ele pode chegar ao consumidor estrangeiro” diz a economista especialista em Agronegócio Unochapecó, Giana de Vargas Mores.

“Neste momento a gente intensificar novas relações comerciais são importantes para que a exportação possa continuar assumindo seus patamares e importantes para a realidade Catarinense”, complementa.

O Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo e a União Europeia um dos principais compradores. A União Europeia alega deficiências no sistema de controle sanitário no Brasil, entre elas o índice da bactéria salmonela, que é considerado alto pelos compradores.