Com isolamento social, caem números de acidentes, mortes e feridos nas estradas gaúchas

383

Os números de acidentes, mortes e feridos nas rodovias do Rio Grande do Sul registraram queda no mês de março de 2020, em comparação com igual período do ano passado (veja quadro abaixo). Em alguns indicadores, como o número de óbitos nas estradas federais, a redução alcançou significativos 48%, com o número de vítimas fatais caindo de 25 para 13.

A queda generalizada de colisões nas estradas está atrelada, ao menos em parte, ao isolamento social e às determinações de quarentena do governo estadual e das prefeituras como forma de limitar a propagação do coronavírus, medidas que reduziram o tráfego e, por consequência, os sinistros.

— O trabalho que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) faz é pela redução de acidentes nas BRs. A tendência de redução já existia e a redução do fluxo contribuiu um pouco mais — diz Leandro Wachholz, superintendente executivo da PRF no Estado.

Na RS-040, por exemplo, o volume diário médio (VDM) em tempos normais é de 48 mil veículos. Agora, devido às restrições de circulação, o VDM nesta rodovia está em 32 mil veículos, queda de 33,3%.

— Diminuiu bastante o fluxo e isso impacta diretamente na acidentalidade. Menos gente, menos acidentes. A circulação que mais reduziu foi a de veículos particulares e de motocicletas. O transporte coletivo intermunicipal continua ocorrendo, desde que obedeça aos critérios estabelecidos pelo governo estadual de viagens com lotação pela metade e passageiros sentados à janela. O transporte de carga também segue — explica o coronel José Henrique Botelho, titular do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM).

Nas estradas estaduais, as vítimas fatais em acidentes de trânsito registraram empate: foram 30 tanto em março de 2019 quanto no mesmo mês de 2020. Botelho explica, contudo, que o dado pode ser observado como um sinal de recuo, já que janeiro e fevereiro de 2020 estavam superando o mesmo período do ano passado em acidentalidade e óbitos. Em março, devido às restrições, houve equidade.

Os feridos em sinistros rodoviários também minguaram. Nas vias federais, a queda foi de 18,09% nos acidentes com feridos e de 22,20% nas pessoas lesionadas. A estatística das estradas estaduais mostra que o número de vítimas não fatais, mas com danos físicos, decresceu 5,3%. A diminuição nesses indicadores é importante porque representa menos pacientes em emergências hospitalares, liberando mais leitos para o tratamento de infectados pelo coronavírus. É uma situação que contribui para atenuar as chances de colapso do sistema de saúde. Como a quarentena deve prosseguir em abril, a tendência é de declínio ainda mais acentuado.

— O nosso sistema acompanha os números dia a dia e faz projeções para o mês. Em abril de 2019, foram 232 acidentes com lesão (nas estradas estaduais). A projeção do momento é de ficarmos em 135 casos em abril de 2020. Seria uma queda bem significativa — diz Botelho.