Beto Bordin é o novo presidente da Amau

0
360

Com o desafio de manter os 32 prefeitos da Associação de Municípios do Alto Uruguai (Amau) atuantes e unidos, foi eleito como presidente da entidade para o exercício 2017, o prefeito de Jacutinga, Beto Bordin (PP). O cargo foi repassado por Luiz Ângelo Poletto, que comandou até o final do ano a prefeitura de Aratiba. Como vice-presidente foi indicado o prefeito de Erval Grande, Agustinho Sinski (PSB), e o segundo vice, o gestor de Ponte Preta, Ademir Sakrezenski (PMDB). A eleição ocorreu na tarde de quinta-feira (12), na sede da Amau e contou com a participação dos prefeitos da região que foram eleitos em outubro, inclusive Luiz Framcisco Schmidt (PSDB), de Erechim

Casa dos debates
O presidente eleito, afirma que tem o intuito de “transformar a Amau na casa dos bons debates”. Entre suas metas falou sobre a luta pelo acesso asfáltico aos municípios da região e a busca por proporcionar qualificação aos servidores municipais.
Como de praxe, a cada eleição, o partido que tem o maior número de prefeitos indica o presidente. Beto Bordin procurou seguir como linha para definir seus parceiros, os gestores que tinham menor representação partidária. Visando adquirir experiência, o PMDB ficou como segundo vice-presidente, já que no próximo ano, como tem o segundo maior número de prefeitos, deverá ficar com o comando da entidade municipalista.
No conselho fiscal ficou o prefeito de Carlos Gomes, Egídio Moreto (PRB), o de Marcelino Ramos, Juliano Zuanazzi (PT) e o de Erebango, Valmor Tomazini (PPS). Na suplência o gestor de Erechim, Luiz Francisco Schmidt (PSDB), o prefeito de Gaurama Leandro Puton (PDT) e o de Ipiranga do Sul, Mário Ceron (PTB).

Defesa Civil
Além da eleição, outros importantes assuntos foram pauta do encontro de prefeitos. O primeiro tema da tarde foi abordado pelo major Jamir Lado, coordenador regional da Defesa Civil do RS, que falou sobre a importância de que os municípios tenham organizado este departamento. Na região, de acordo com ele, apenas quatro estão de acordo.

Banco de Sangue
O administrador judicial do Banco de Sangue, Jacson Arpini, também fez uso da palavra e agradeceu aos prefeitos pela parceria mantida durante todo o período com a entidade. Conforme ele, o Banco de Sangue só se manteve graças ao apoio com os repasses mensais que os municípios deram. Ele afirma que está buscando viabilizar a filantropia da entidade e que com isso será possível uma economia de R$ 15 mil/mês ou cerca de R$ 150 a R$ 180 mil ao ano.
Arpini informou aos prefeitos que nesta quinta-feira pela manhã foi realizada a milésima coleta de sangue depois da interdição do Banco, ocorrida no mês de outubro.

Hospital Santa Terezinha
O tema sobre saúde continuou pautando a reunião entre os prefeitos, quando o secretário de Saúde de Erechim Dércio Nonemacher e o diretor executivo Helio Bianchi expuseram sobre a situação da casa de saúde.
O secretário disse que um dos grandes objetivos é reduzir os custos fixos do hospital, que está bem equipado, mas que precisa ser melhorado no quesito hotelaria. E que há a necessidade de aquisição de um aparelho de tomografia, através de uma campanha regional, “pois somos favoráveis a que não se terceirize o serviço.” De acordo com ele: “não adianta continuar com um aparelho velho, antiquado, arrumando e gastando um quantitativo importante e depois de dois, três meses ele voltar a quebrar”.
Nonemacher anunciou aos prefeitos que está disposto a colaborar com todos os municípios discutir custo fixo e variável do hospital, por que ele tem que ser administrado em conjunto.
Bianchi, que atuou no Santa entre 2001 a 2008, afirmou que é preciso otimizar os valores do Sistema Único de Saúde (SUS), já que o hospital é 98% SUS.