Mexa-se

0
116

Nenhum medicamento consegue ser tão completo quanto o exercício físico. Ao iniciar a prática de exercícios físicos, todos os sistemas orgânicos são estimulados e adaptações fisiológicas que atuam na prevenção de doenças são iniciadas. Essas alterações agem diretamente na manutenção da saúde e do tratamento e reabilitação de uma série de patologias cardiovasculares, respiratórias, musculoesqueléticas, neuropsicológicas, imunológicas, digestivas, endocrinológicas e oncológicas.

“Os exercícios promovem adaptações bioquímicas aeróbias e anaeróbias, em nível celular e sistêmico, estimulam as fibras musculares lentas e rápidas e trabalham as variáveis resistência, força, flexibilidade, estabilidade, potência e velocidade (dependendo dos objetivos específicos como a prática de algumas modalidades esportivas ou profissionais)”, afirma Dr. Luis Felipe, médico do esporte do Kurotel – Centro Médico de Longevidade e Spa de Gramado – RS.

Cada hora dedicada ao exercício físico aumenta duas horas o tempo de vida do indivíduo, aponta uma pesquisa da Universidade de Stanford que acompanhou durante 25 anos mais de 17 mil estudantes recém-formados. “Conclui-se, então, que sair do sedentarismo é quase uma questão de sobrevivência, pelo menos da sobrevivência de uma vida plena e saudável em que possamos desfrutar de cada fase da melhor maneira possível”, destaca a fisioterapeuta Grasiele Schwengber do Kurotel.

Seja como for, antes de iniciar um programa de exercícios é fundamental realizar uma avaliação médica para minimizar os riscos, otimizar o treinamento e receber uma prescrição adequada e individualizada quanto a frequência, duração, volume, intensidade e tipos de exercícios.