PF encontra lista da Odebrecht com nomes de 47 políticos do RS

0
1363

Documentos apreendidos pela Polícia Federal listam possíveis repasses da Odebrecht para mais de 200 políticos de 18 partidos, entre eles 47 do Rio Grande do Sul. As planilhas estavam com Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, e conhecido no mundo empresarial como “BJ”.

A Justiça Federal de Curitiba liberou acesso aos documentos nesta quarta-feira (23), no entanto nesta tarde o juiz Sergio Moro determinou o restabelecimento de sigilo sobre as planilhas. Ele determinou o retorno do sigilo por entender que é precipitada qualquer conclusão.

Os investigadores da Lava jato ainda apuram a que se referem os pagamentos citados nos documentos. No inquérito, não está claro se são doações legais de campanha ou repasses irregulares.

Em fases anteriores da apuração, os investigadores da Lava Jato levantaram a tese de que mesmo contribuições legais das empreiteiras para políticos podem ter sido fruto de recursos oriundos dos desvios na estatal. Dentro deste entendimento, um relatório da PF apontou: “Nessa nova dinâmica, conforme cenário probatório, tais doações caracterizam-se em verdade como atos de lavagem de dinheiro.” Um dos coordenadores da força-tarefa da Operação Lava Jato, o procurador Deltan Dallagnol observou, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo “O que está em questão no caso, contudo, não são simples doações eleitorais, mas são as doações simuladas que escondem o que é, na verdade, o pagamento de propina. Quando o repasse de propina é dissimulado na forma de doação eleitoral, isso caracteriza lavagem de dinheiro”.

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), também está entre os citados. Assim como outros políticos que receberam apelidos nas planilhas, Cunha era chamado de “caranguejo” nos documentos. Nesta tarde ele riu do apelido e disse que pediu dinheiro para campanha somente para o PMDB é que se recebeu verba da empreiteira, foi via partido.

A Rádio Gaúcha listou pelo menos 47 gaúchos entre os políticos identificados. Veja a relação:

José Fortunati (PDT)
Manuela D’Ávila (PCdoB)
Sérgio Zambiasi (PTB)
Pablo Mendes Ribeiro (PMDB)
Marco Alba (PMDB)
Fábio Branco (PMDB)
Osmar Terra (PMDB)
Mauro Poeta (PMDB)
Mauro Zaquia (não identificado)
Márcio Biolchi (PMDB)
Tarsila Crusius (PSDB)
Wambert Di Lorenzo (PSDB)
Nelson Marquezan (PSDB)
Adão Villaverde (PT)
Carlos Todeschini (PT)
Ronaldo Zulke (PT)
Gilmar Rinaldi (PT)
Jairo Jorge (PT)
Marco Maia (PT)
Fernando Marroni (PT)
Marcos Daneluz (PT)
Maria do Rosário (PT)
Adeli Sell (PT)
Engenheiro Comasetto (PT)
Tarcísio Zimmermann (PT)
Helen Cabral (PT)
Heitor Luiz Lermen (PT)
Ana Amélia Lemos (PP)
João Carlos Nedel (PP)
Renato Molling (PP)
Kevin Krieger (PP)
Afonso Hamm (PP)
Mano Changes (PP)
Frederico Antunes (PP)
Fixinha (PP)
José Otávio Germano (PP)
Otomar Vivian (PP)
Leonardo Hoff (PP)
Beto Albuquerque (PSB)
Heitor Schuch (PSB)
Tarso Genro (PT)
João Bosco Vaz (PDT)
Toni Proença (PPL)
Jussara Cony (PCdoB)
Paulo Azeredo (PDT)
Marcelo Esswein (PDT)
Gilmar Sossela (PDT)

Também há planilhas com nomes de partidos ao lado de valores. São eles PT, PP, PCdoB, PDT, PSDB, PMDB, PSB e PSB.