Polícia prende suspeitos de envenenar achocolatado que matou criança no Mato Grosso

0
465

A polícia de Cuiabá prendeu na manhã desta quinta-feira (1º) dois homens suspeitos de envolvimento na morte de uma criança de dois anos. O caso repercutiu em todo país, pois a mãe contou no hospital que a criança passou mal após ingerir um achocolatado da marca Itambé. A polícia acredita que o produto foi envenenado por um vizinho da vítima.

O laudo com o resultado da análise ainda não foi divulgado, mas a família contou que a criança ganhou o achocolatado de um vizinho. A Polícia afirma que Adones José Negri, de 61 anos, é suspeito de ter colocado na caixa de achocolatado um veneno usado para matar ratos. O outro preso, Deuel de Rezende Soares, de 27 anos, foi quem furtou a bebida de um mercado.

Entenda o caso

O caso aconteceu em Cuiabá, no Mato Grosso, na sexta-feira (26). A Anvisa suspendeu a venda em todo território nacional do achocolatado Itambezinho após uma criança de dois anos morrer depois de ingerir a bebida. A mãe contou ao hospital que a criança consumiu o produto minutos antes dos sintomas. A polícia civil coletou amostras e encaminhou para análise. Na segunda-feira (29) foi publicada no Diário Oficial da União uma resolução proibindo a comercialização do produto em todo país. Trata-se do lote 21:18 (val.: 21/11/2016), da Bebida Láctea UHT Chocolate, 200ml, marca Itambezinho, fabricado pela Itambé Alimentos.