Preço da gasolina tem segunda queda seguida no ano

0
190

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira a segunda queda consecutiva dos preços dos combustíveis em 2017. A petroleira decidiu revisar nas suas refinarias a partir deste sábado o preço médio da gasolina em 5,4% e do diesel em 4,8%.

Para o consumidor final, a companhia estimou que a gasolina pode cair 2,3% ou R$ 0,09 por litro, e o diesel 3% ou cerca de R$ 0,09 por litro, ambos também em média. A projeção considera que o ajuste seja integralmente repassado e que não ocorram alterações nas demais parcelas que compõe o preço final.

A redução no mesmo patamar da queda nas refinarias, no entanto, depende das distribuidoras e dos postos. A lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados. Na prática, o que tem ocorrido desde quando a empresa anunciou a sua nova política de preços, em outubro de 2016, é um rápido reajuste para os consumidores apenas quando a estatal anuncia aumentos dos combustíveis.

“O repasse não acontece na velocidade que o consumidor espera. Quando tem baixa de preço nas refinarias, a distribuidora demora a repassar para o posto, mas quando sobe, a distribuidora eleva no mesmo momento”, afirmou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Gouveia.

A previsão do sindicalista é que as mudanças dos preços nas bombas sejam sentidas a partir da semana que vem. Segundo a Petrobras, a decisão vem principalmente pelo efeito da valorização do real desde a última revisão de preços, pela redução no valor dos fretes marítimos e ajustes na competitividade da estatal no mercado interno. A última alteração foi em 26 de janeiro, quando a gasolina ficou 1,4% mais barata nas refinarias e o diesel, 5,1%.

A empresa disse em nota que reafirma sua política de revisão de preços pelos menos uma vez a cada 30 dias, “o que lhe dá flexibilidade para lidar com variáveis com alta volatilidade”. “Os novos preços continuam com uma margem positiva em relação à paridade internacional, conforme princípio da política anunciada”, informou.