Queda no preço do suíno e aumento de custo inviabiliza setor

0
541
O ano não começa com boas notícias ao setor suinícola. O presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos, Losivânio de Lorenzi, confirmou  a queda de R$ 0,10 no preço do suíno pago ao produtor. Esta é a primeira alteração no valor, que seria praticada ainda na semana anterior, mas entrou em vigor nesta segunda-feira 04.
Segundo Lorenzi, a Cooper Central Aurora alterou ontem o valor, que estava em R$ 3,20, para R$ 3,10. A JBS manteve os R$ 3,10 que já praticava até então. Os demais frigoríficos também diminuíram R$ 0,10, e agora fixaram o valor em R$ 3,00. Lorenzi conta que durante reuniões na reta final de 2015 já se ventilava a possibilidade e a queda não causou surpresa.
O presidente explica que o setor tentou segurar a queda do preço pensando no aumento do consumo da carne suína nesta época de festas, entre o natal e a virada de ano. Mas isso não aconteceu. O consumo no último trimestre ficou abaixo do esperado e o produto acabou ficando estocado. Com isso, o primeiro trimestre do ano, que já é tradicionalmente difícil para os produtores, deverá ser prejudicado.
Losivânio relata preocupação. A queda no preço pago ao produtor somada ao aumento dos custos e do dólar devem inviabilizar a atividade suinícola. Neste aspecto, o presidente não consegue fazer projeções para o ano de 2016. Ele explica que deverá ser difícil, mas haverá um bom momento em exportação, que é o que fará a diferença no setor. A China deverá aumentar o volume de compra da carne suína.
Apesar das dificuldades, em 2015, os produtores ainda conseguiram ter uma margem de lucro, mesmo que pequena. A indagação do presidente é que as indústrias, no entanto, tiveram lucro maior, tornando a atividade desigual entre as empresas e os produtores. Ele cobra a necessidade de uma divisão mais igualitária.