Três Arroios e Ipiranga do Sul entre as melhores cidades do país

0
1109
DCIM100MEDIADJI_0062.JPG

Municípios estão entre os 100 na pesquisa que leva em consideração vida longa e saudável, acesso ao conhecimento e padrão de vida digno

Três Arroios e Ipiranga do Sul ocupam o 62º lugar entre as 100 cidades brasileiras com alto desempenho no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), que leva em consideração três dimensões vida longa e saudável, acesso ao conhecimento, e padrão de vida digno. No Rio Grande do Sul, estes dois municípios juntos ocupam a terceira posição, ficando atrás apenas de Porto Alegre e Carlos Barbosa.

Conforme os dados divulgados recentemente, o índice de Três Arroios é 0,791, em 2010, o que situa esse município na faixa de Desenvolvimento Humano Alto (entre 0,700 e 0,799). A dimensão que mais contribui para o seu IDHM é a longevidade, com índice de 0,851, seguida de renda, com 0,843, e de educação (0,689). O IDHM passou de 0,637 em 2000 para 0,791 em 2010 – uma taxa de crescimento de 24,18%.

O prefeito reeleito de Três Arroios, Lírio Zarichta, afirma que a cultura da população, unida aos investimentos realizados pela administração municipal nas áreas da saúde e educação é que são responsáveis por estes bons resultados. “Estamos com índice de analfabetismo zero, assim como o de mortalidade infantil. É um desafio, mas conseguimos manter o hospital funcionando para uma população de 2.800 pessoas,” diz. Outro fator da qualidade de vida, segundo Zarichta, é que o município tem apenas uma família recebendo recursos do programa Bolsa Família. De acordo com ele, esta família reside há pouco tempo em Três Arroios. “Isso é um reflexo da qualidade de vida, da renda da população. São estes os fatores que levam o município a avançar,” completa.

Em Ipiranga do Sul o índice também é de 0,791, em 2010. A dimensão que mais contribui para o IDHM do município é longevidade, com índice de 0,866, seguida de renda (0,818) e de educação (0,698). O IDHM passou de 0,673 em 2000 para 0,791 em 2010 – uma taxa de crescimento de 17,53%.

O prefeito do município, Mário Ceron, também credita a cultura da população, que se dedica bastante ao trabalho, a este bom resultado. “Isso se deve as nossas famílias que cuidam bem da saúde e que tem uma educação de qualidade que já tem reconhecimento dentro do Estado e do Brasil. Também pela renda per capita que hoje deve estar chegando aos R$ 50 mil/ano.” O prefeito reeleito acrescenta que o importante não é só alcançar estes números, mas manter e continuar qualificando.