Área de cultivo com trigo tem perspectivas de redução na região do Alto Uruguai

312
Durum Wheat

As culturas de inverno estão plantadas na região do Alto Uruguai, com área de 62 mil hectares estimados pelo Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim. As lavouras de trigo, com área de cultivo projetada para safra 2018/2019 de 28.590 hectares, está com 20% da área semeada, com uma redução prevista de 1,99% em relação à safra passada, de acordo com levantamento da Emater/RS-Ascar. A área com aveia, preta e branca, está projetada em 23.670 hectares, sendo que 80% da área estão plantadas.

A cevada, com área prevista de 9.350 hectares para o ciclo, está com 90% semeada. Já a canola está em fase de extinção na região, sendo apenas 250 hectares semeados, cujo plantio está concluído.

Fruticultura
Os morangos colhidos apresentam boa qualidade e com perspectivas de boa produção, conforme levantamento do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim.
Os produtores estão realizando tratamento de inverno nos parreirais. Há expectativa de novas áreas serem cultivadas nos municípios de São Valentim, Viadutos, Erval Grande, Floriano Peixoto e Mariano Moro.

Com relação a apicultura, no momento, estão sendo realizados os manejos de inverno com alimentação das abelhas para sobrevivência das colmeias. O frio, aliado às baixas floradas reduziu o trabalho das abelhas. O preço do mel tem grande variação na região, de acordo com a produção de cada município. Na semana, foi comercializado entre R$ 6,00 e 15,00 o quilo; o pólen, com embalagem de 130 gramas a R$ 25,00; a própolis, com embalagem de 100 ml, R$ 15,00.

Criações
O setor da bovinocultura de corte enfrenta dificuldades. O consumo nacional de carne continua em baixa, refletindo sobre o preço recebido pelos bovinocultores. Os criadores estão recebendo pelo boi gordo, em média, R$ 4,75, variando entre R$ 4,50 e 5,00 R$/kg, de acordo com a qualidade da carcaça. Preço do boi gordo estável na semana. O terneiro está sendo comercializado entre R$ 5,25 a 5,50, com leve queda na semana.

Em relação a bovinocultura de leite, as pastagens de inverno estão com bom desenvolvimento. A semana foi chuvosa e de temperaturas baixas com duas geadas. Em geral, a umidade dos solo está boa. Neste período, a fonte de fibra principal são as pastagens anuais de inverno, especialmente, aveia e azevém. Os rebanhos, em geral, apresentam boa sanidade, sem adventos sanitários graves. Alguns bovinocultores buscaram informações sobre o sistema confinado de produção de leite. O leite foi comercializado R$ 0,90 a R$ 1,40, média de R$ 1,10, de acordo com o volume e a qualidade do produto.

O transporte de insumos e suínos está normalizado na região. No sistema de integração total, os suinocultores receberam entre R$ 22,00 R$ 37,00 por animal terminado. Para integrados, o suíno foi comercializado a 2,80 R$/kg.

TABELA DE PREÇOS PRATICADOS NA SEMANA

Produto Preço médio da semana R$ Observações
SOJA 78,50/sc em 21 dias Preço Cotrel
MILHO 34,00 – 36,00/sc em 35 dias Preço Cotrel
FEIJÃO 100,00 – 120,00/sc em 35 dias Preço Cotrel
BOVINOS (peso vivo) 4,50 – 5,00 R$/kg PV Preço produtor
LEITE 0,90 – 1,40 R$/L Preço médio ao produtor
MEL 6,00 – 20,00 R$/kg Preço produtor
CARPA (Peixe vivo) 8,0 a 10,00 R$/kg Preço produtor
TILÁPIA (filé) 25,00/kg Preço produtor
SUINOS 2,80/kg Preço Cotrel