Aurora inaugura nesta terça-feira, em Chapecó, a maior unidade do Brasil de processamento de suínos

427

Nesta terça-feira (15), após obras para dobrar a capacidade, em um investimento de R$ 268 milhões, inaugura na rua Aury Luiz Bodanese, no bairro Efapi, em Chapecó (SC), o Frigorífico Aurora Chapecó 1 (Fach 1). Integrante do conglomerado agroindustrial Cooperativa Central Aurora Alimentos, a partir do mês de outubro, o Fach 1 se torna a maior unidade industrial de processamento de suínos do Brasil. Ele passa a abater 10.000 cabeças por dia, onde empregará cerca de 5,5 mil trabalhadores e irá gerar 221 produtos cárneos.

A solenidade de inauguração está programada para iniciar às 14h,  dentro das comemorações do 50º aniversário de fundação da Aurora Alimentos, terceiro grupo brasileiro do setor de proteína animal.

O ato será presidido pelos diretores Mário Lanznaster (presidente), Neivor Canton (vice-presidente), Marcos Antônio Zordan (diretor de agropecuária) e Leomar Luiz Somensi (diretor comercial) e terá a presença da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Tereza Cristina.

O Fach 1 é a única indústria brasileira que exporta carne suína in natura para os Estados Unidos. Também está habilitada para importantes mercados, como China, Hong Kong, Japão, Coreia do Sul e Chile, onde totaliza cerca de 20 países.

A unidade começou a operar em 1992, com o emprego de 432 pessoas para produzir cortes in natura de carnes suínas. Nesses 27 anos recebeu várias ampliações. A mais recente consiste nas obras de duplicação que iniciaram em julho de 2018 e serão inauguradas nesta terça-feira.

O total de recursos aplicados no projeto global de ampliação de abates e industrializados na unidade Fach 1 foi de aproximadamente R$ 268 milhões, sendo 20% de capital próprio e 80% de capital financiado.

O Fach 1 está organizado nos setores de administração, manutenção, produção, qualidade e logística. Os investimentos atingiram os setores de abate e áreas relacionadas (ampliação do abate, sala de cortes, miúdos, beneficiamento de tripas), industrializados (linguiças frescais, salsichas, mortadelas e bisteca) e áreas de apoio (estacionamento, restaurante, lagoas de tratamento, caldeira, sala de máquinas entre outras). As áreas que concentraram os maiores investimentos foram as linhas de abate e industrializados.

Em face dos investimentos, o número de trabalhadores diretos da unidade sobe dos atuais 3.000 para 5.480 empregados diretos.

O incremento de produção se dará nas linhas de produtos já existentes: cortes congelados, linguiças frescais, salsichas, bisteca e mortadela.

Os principais reflexos se manifestam na duplicação da capacidade industrial instalada. O abate passa de 5.230 suínos/dia para 10.527 cabeças/dia, com incremento de 101,3%. O processamento mensal cresce na mesma proporção, de 109.830 suínos para 221.072 animais.

A operacionalização da capacidade ampliada inicia em outubro e atinge sua plenitude – de 10.527 suínos por dia – no primeiro semestre de 2020. Nesse estágio, o conglomerado Aurora Alimentos estará abatendo 25.000 cabeças por dia.

A unidade vem incorporando importantes avanços tecnológicos, como o abate humanitário com o uso do gás CO2, a robotização da paletização de industrializados, a automação no processo de embalagem de linguiças frescais e a automação e robotização no cozimento de mortadela.