Brasil tem mais de 1,3 mil casos confirmados de microcefalia e outras alterações no sistema nervoso

545

O Ministério da Saúde confirmou 1.326 casos de recém-nascidos com microcefalia ou outras alterações do sistema nervoso até o dia sete de maio. O boletim reúne as informações encaminhadas semanalmente pelas secretarias estaduais de saúde. A microcefalia tem preocupado os brasileiros, não apenas porque é uma condição que não tem cura, mas também porque está relacionado ao Zika. O vírus é transmitido pela picada do Aedes aegypti, mosquito que também causa a dengue e a febre chikungunya. O secretário-Executivo do Ministério da Saúde, Neilton Oliveira, explica porque é importante que você reserve alguns minutinhos do seu tempo, toda a semana, para eliminar os focos do inseto que podem existir na sua casa.

“É preciso tirar 15 minutos por semana, não é um dia inteiro, são só 15 minutos por semana, para fazer a revisão do seu quintal, para olhar as suas coisas. Porque 80% dos criadouros do mosquito Aedes aegypti estão no interior dos domicílios, estão ali no perímetro domiciliar.”

Os mil 326 casos confirmados de microcefalia ocorreram em 24 estados, mais o Distrito Federal. Não existe registro de bebês com a má-formação cerebral apenas no Acre e em Santa Catarina. Por isso, é importante lembrar que o jeito mais fácil de prevenir as doenças que o mosquito transmite, é não deixar ele nascer. Para saber mais sobre como você pode proteger o seu bebê, sua família e seus vizinhos do Aedes aegypti, acesse o site: combateaedes.saude.gov.br