Comunidade de Rio Branco, Mariano Moro, vive sua primeira ordenação diaconal

637
SONY DSC

Na tarde-noite deste primeiro domingo de fevereiro, no seu salão comunitário completamente lotado, a comunidade São José, de Rio Branco, Paróquia São Francisco de Assis, de Mariano Moro, viveu sua primeira ordenação diaconal, a do seminarista Lucas André Stein, realizada por Dom José em missa concelebrada por 20 padres, com a participação de 4 diáconos, religiosas e os seminaristas da Diocese de Erexim. Entre os participantes, caravana com mais de 50 pessoas da Paróquia N. Sra. da Salette, Três Vendas, Erechim, onde Lucas realizou atividades pastorais nos últimos 3 anos. A animação da música e do canto esteve a cargo Pe. José Carlos Sala e equipe.

No início da celebração, Pe. Paulo Rogério Caovila, Pároco de Mariano Moro, fez a acolhida a todos e a apresentação das diversas comunidades.

Na homilia, Dom José refletiu sobre a vocação e a missão de cada pessoa, à luz da fé. Deus, que nos ama antes mesmo do nascimento, com o dom da vida, nos dá uma vocação, concedendo dons e carismas para vivê-las. Recordou que as primeiras comunidades cristãs, caracterizadas por sua união fraterna e fidelidade a Deus, apesar das fragilidades humanas, davam especial destaque aos ministérios ordenados. À luz do Espírito Santo, foram aprendendo a responder às necessidades e aos desafios que iam surgindo. Os dons de cada membro eram vividos pelo bem de todos. Assim, a Igreja ia realizando sua missão de tornar presente Cristo no mundo. Tarefa exigente e difícil. Mas Deus garante estar sempre com quem chama e envia. Referiu-se à função do diácono, observando que há o permanente, que pode ser casado e aquele que será ordenado padre. O diácono serve ao povo de Deus na diaconia ou serviço da liturgia, da Palavra e da caridade, sem esquecer que há o serviço de cada pessoa na família, no ambiente de trabalho, na comunidade. O diácono pode presidir celebrações da Palavra, administrar o Batismo, assistir e abençoar os Matrimônios, levar o Viático aos agonizantes e oficiar as Exéquias. Exortou o ordenando a servir na caridade e com alegria tanto a Deus como aos seres humanos, para que um dia possa escutar da boca do Senhor estas palavras: “Servo bom e fiel, entra na alegria do teu Senhor!”

Após a homilia, o reitor do Seminário Maior São José pediu ao Bispo que ordenasse diácono o seminarista Lucas. Este interrogou o candidato sobre suas disposições para este ministério e sua disposição de lhe dedicar obediência e reverência. Seguiu-se a ladainha de todos os santos, durante a qual o ordenando ficou prostrado em sinal de sua fragilidade humana e necessidade absoluta do auxílio divino. Concluída a ladainha, o Bispo impôs as mãos sobre o ordenando e proferiu a oração da ordenação diaconal. Os pais e o irmão o revestiram com a estola e a veste diaconal e o Bispo lhe entregou o Evangeliário, expressando a missão de anunciar e testemunhar da Boa Nova da Salvação.

No final da celebração, Pe. Paulo agradeceu a presença e a participação de todos. O novo diácono também fez seus agradecimentos. Dom José referiu-se ao processo de acompanhamento e formação dos vocacionados ao ministério presbiteral, apresentou os atuais seminaristas da Diocese e, com os padres, invocou bênção divina especial sobre o novo diácono e sobre todos os participantes da celebração.

Após a cerimônia, houve confraternização com alimentos partilhados.