Máscaras se integram cada vez mais ao dia a dia dos gaúchos

171

Novo decreto de distanciamento social pelo governo do estado torna obrigatório uso do equipamento de proteção

Coloridas, de bolinhas ou quadradinhos, com tecido jeans, do Grêmio ou do Inter, as máscaras, por força de necessidade, caíram no gosto dos gaúchos. Se antes já era praticamente um dever utilizá-las, para evitar que o novo coronavírus se espalhe ainda mais, desde esta segunda-feira, com a publicação do novo decreto de distanciamento social pelo governo do estado, o uso do equipamento de proteção passou a ser obrigatório.

Mas basta andar por Porto Alegre e algumas outras cidades para conferir que seu emprego já está alta. São poucas pessoas nas ruas que a deixam de utilizar. E quem deixa, acaba sofrendo também transtornos, que vão desde não conseguir pegar um transporte público até mesmo entrar num supermercado, por exemplo.

O motorista de aplicativo Wagner Pires, de 34 anos, estava na rua desde às 6h desta segunda-feira. Até às 9h15min, ele tinha feito oito corridas. Destas, em duas os passageiros estavam sem. “Eu sempre uso a minha. Cansa um pouco de usar, mas não dá para errar”, conta.

Para estes descuidados ou desavisados, Everton Lopes, dono de uma pequena loja e banca de revistas no calçadão da Rua Uruguai, no Centro, tem uma solução. Ele está vendendo máscaras desde o dia 28 de abril. “Vendo umas 25 delas por dia. Muita gente compra porque esqueceu e aí não pode entrar no comércio ou em bancos. Mas é o jeito que temos com este vírus para que a nossa economia volte ao normal”, acredita.

Entretanto, apesar do uso bastante notável da máscara, a secretária Mariane Guimarães, 42, era uma das poucas que tinha conhecimento da determinação do governador Eduardo Leite. “Eu uso desde o início. Assim eu acho que fico mais protegida. Vai ser boa esta lei”, afirma a moradora do bairro Menino Deus.

No sábado, ao informar em um vídeo no Facebook, Leite disse que está confiando a sua determinação “na sociedade como apoiadores desta medida, deste novo comportamento, para que assim seja possível reduzir o avanço do coronavírus”. As máscaras evitam que gotículas sejam dispersadas pela boca e nariz, bem como aerossóis contendo partículas do novo coronavírus. Por isso a sua importância no combate à doença.