‘Não é como uma gripe, é uma pneumonia muito severa’, dizem médicos de hospital na Itália

132

Médicos do principal hospital de Bérgamo estão preocupados com a quantidade de pacientes da doença que já matou mais de 4 mil pessoas na Itália. E fazem um alerta ao mundo: “Não é uma gripe”.

Com cerca de 120 mil habitantes, a cidade de Bérgamo, no norte da Itália, tornou-se um dos locais mais críticos da pandemia de novo coronavírus — a ponto de militares precisarem trabalhar para levar os corpos das vítimas da Covid-19.

Com a velocidade do contágio do novo coronavírus, o sistema de saúde de Bérgamo está sobrecarregado. “É massivamente estressante para qualquer sistema de saúde, porque vemos todo dia de 50 a 60 pacientes chegando. A maioria é tão severa que eles precisam de muito oxigênio”, disse outro médico.