No Dia Mundial da Epilepsia, aprenda como ajudar uma pessoa em crise convulsiva

215

Dia 26 de março é o Dia Mundial de Conscientização da Epilepsia. A data foi criada para difundir conhecimento sobre a doença e, assim, diminuir o preconceito. Em vários países, vestir-se de roxo é uma forma de desmitificar a doença e, por isso, a data também é conhecida como purple day – dia roxo, em tradução livre.

A epilepsia é uma alteração temporária e reversível do funcionamento do cérebro, gerada por uma atividade elétrica anormal das células cerebrais, que provoca crises epiléticas. Há várias causas para a doença, como forte pancada na cabeça, uma infecção (meningite, por exemplo), neurocisticercose (“ovos de solitária” no cérebro), abuso de bebidas alcoólicas e de drogas. Muitas vezes a origem pode ter também relação com má formação congênita do cérebro.

As crises podem se manifestar de diferentes maneiras. As convulsivas são quando a pessoa contrai os músculos involuntariamente. Mas podem ocorrer ausências, quando a pessoa fica com o olhar fixo, perde contato com o meio por alguns segundos ou quando a pessoa não tem controle de seus atos, fazendo movimentos automáticos, como caminhar sem direção.

Confira algumas dicas de como ajudar uma pessoa em crise convulsiva:
– Mantenha a calma e tranquilize as pessoas ao seu redor;
– Tente evitar que a pessoa caia bruscamente ao chão;
– Mantenha-a deitada de barriga para cima, mas com a cabeça voltada para o lado, evitando que ela se sufoque com a própria saliva;
– Tente proteger a cabeça com algo macio;
– Nunca segure a pessoa nem impeça seus movimentos (deixe-a debater-se);
– Retire objetos próximos com que ela possa se machucar;
– Afrouxe as roupas da pessoa em crise, se necessário;
– Se for possível, levante o queixo para facilitar a passagem de ar;
– Não tente introduzir objetos na boca do paciente durante as convulsões;
– Não dê tapas;
– Não jogue água sobre ela nem ofereça nada para ela cheirar;
– Verifique se existe pulseira, medalha ou outra identificação médica de emergência que possa sugerir a causa da convulsão;
– Permaneça ao lado da pessoa até que ela recupere a consciência;
– Se a crise convulsiva durar mais que 5 minutos sem sinais de melhora, peça ajuda médica;
– Quando a crise passar, deixe a pessoa descansar.

Tratamento
O tratamento das epilepsias é feito com medicamentos que evitam as descargas elétricas cerebrais anormais, que são a origem das crises epilépticas. Casos com crises frequentes e incontroláveis são candidatos a intervenção cirúrgica.