Mosca “cabeçuda” na região não é resultado de experimentos da Embrapa Suínos e Aves de Concórdia

309

O aparecimento de moscas com porte superior e diferente das domésticas em toda a região  do Alto Uruguai Catarinense nos últimos meses tem gerado dúvidas por parte da população. A mosca “cabeçuda”, já identificada pela Embrapa de Concórdia – teria entrado no Brasil através dos portos na região Sudeste, vindas de outros continentes e se alastrado, principalmente em propriedades rurais.

Nesta segunda-feira, dia 30, a Embrapa Suínos e Aves divulgou um vídeo “negando” que o aparecimento da mosca “cabeçuda” como é conhecida tenha sido resultado de experimentos de centros de pesquisas. A mosca cabeçuda é verde, tem um porte maior que a mosca doméstica e chegou ao Brasil há 40 anos.

A unidade da Embrapa em Concórdia atua há duas décadas no controle e combate às moscas com orientação aos agricultores e pesquisas na área. Nesse momento, os pesquisadores estão trabalhando no levantamento de informações visando buscar alternativas para controlar e combater a mosca “cabeçuda”.

Sabe-se até o momento que a mosca verde usa carcaça de animais para depositar os ovos visando a proliferação. “A mosca – verde/cabeçuda – não é resultado de experimentos de nenhum dos seus centros de pesquisa no Brasil”.